Rechuan cumpriu dois mandatos consecutivos e alguns lideranças locais dizem que os tempos eram melhores

TCE aponta déficit financeiro de mais de R$ 4 milhões nas contas de Rechuan Junior

Ao que tudo indica, o ex-prefeito José Rechuan Junior (foto) gastou no ano passado mais do que o município arrecadou no período. Pelo menos foi isto que o Tribunal de Contas do Estado constatou ao analisar a prestação de contas da Prefeitura de Resende referente ao exercício de 2016. As contas foram julgadas hoje (17) no plenário do TCE e receberam parecer prévio contrário. A Corte apontou um déficit financeiro de R$ 4.166.899,26. A análise final será feita pela Câmara de Vereadores.

Contratos emergenciais eram alvos de ativista assassinado na cidade

Os tiros que ceifaram a vida do ativista político David Camilo de Oliveira – assassinado na madrugada da última sexta-feira (13), em Seropédica – silenciaram uma voz combativa e derrubaram um cidadão de bem, que vinha fazendo uma ação fiscalizadora contra a administração do prefeito Anabal de Souza (foto), questionando a falta de transparência nos gastos públicos e as seguidas dispensas de licitação que já comprometeram pelo menos R$ 15 milhões, mas não impedirão que denúncias sejam apuradas. Muito pelo contrário, pois uma verdadeira devassa deverá ser feita nos contratos emergenciais, principalmente nas despesas feitas com recursos destinados aos setores de Saúde e Educação. Até ontem a polícia não havia se pronunciado sobre possíveis suspeitos ou motivação, mas vários setores da sociedade organizada prometem acompanhar o caso de perto para que os responsáveis não fiquem impunes.

Josias Quintal poderá formar a chapa do DEM para o governo estadual

Reunindo apoio no Norte e Noroeste fluminense, o prefeito de Santo Antonio de Pádua, Josias Quintal é hoje o nome de consenso no interior do estado para compor, como candidato a vice-governador, a chapa do hoje presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Com trânsito livre entre os prefeitos, Quintal lidera um bloco importante exatamente onde o ex-governador Anthony Garotinho é forte, o que pode causar a divisão dos votos nas duas regiões, cujos municípios precisam de uma participação maior a nível de governo estadual, para abrir novas frentes de desenvolvimento econômico e social.

A infiltração do crime organizado na política não é nenhuma novidade. Começou na Zona Oeste do Rio com os irmãos Natalino e Jerominho Guimarães

Mapeamento inclui zonas eleitorais de Resende e Itatiaia

Com pouco mais de 30 mil habitantes, segundo dados do IBGE, Itatiaia, no Sul Fluminense, deixou de ser uma cidade tranquila. Pelo menos é o que aponta o mapeamento sobre as zonas eleitorais do estado do Rio de Janeiro, nas quais votam moradores de áreas controladas pelo crime organizando, localidades sob o domínio de milícias ou tráfico de drogas, encomendado pelo Ministério da Justiça. Na lista estão a 198 ZE que atende Itatiaia e parte de Resende e a 031 ZE, que reúne só eleitores de Resende. O levantamento aponta a influência criminosa em 850 zonas de conflito e os políticos que ganharam, em 2016, mais votos em sessões de 19 zonas eleitorais de sete cidades fluminenses.

Ex-prefeito está proibido de continuar dando ordens na Prefeitura

Desde a posse do prefeito Amarildo Henrique Alcântara, o Amarildo do Hospital (PR), que os comentários nos meios políticos de São Fidélis, dão conta de que a pequena cidade interior fluminense tem dois governantes, um direito (o eleito) e um de fato, o ex-prefeito Davi Loureiro (foto), que é quem estaria dando as ordens por lá. Acionado, o Ministério Público decidiu abrir inquérito para apurar se Loureiro estaria mesmo usurpando a função conferida pelo voto popular a Amarildo e, em consequência disto, na última quarta-feira (11), foi cumprido mandado de busca e apreensão na sede do governo. O ex-prefeito está impedido de exercer qualquer cargo, pois tem uma condenação por ato de improbidade administrativa transitada em julgada em 2014 (não cabe recurso), mas não vinha ignorando a proibição.