O prefeito Antonio Marcos (centro), para algumas lideranças locais, na verdade teria dois candidatos

Para alguns líderes partidários o prefeito de Casimiro de Abreu tem dois candidatos a sua sucessão

“Boi de piranha”, expressão usada para exemplificar uma situação onde um bem menor é sacrificado para salvar um bem maior, está sendo citada nas rodas de conversas entre lideranças partidárias em Casimiro de Abreu para assim classificar a candidatura de Fábio Kiffer (PSC), nome indicado pelo prefeito Antonio Marcos Lemos para disputar a sua sucessão. Para muitos Kiffer - visto como um “candidato chocho” - não é de fato o nome preferido do atual prefeito e o favorito seria o candidato do PR, Vagner Heringer, desconfiança que cresceu muito no grupo do ex-prefeito Paulo Dames, que quer voltar ao poder, ainda que de forma indireta.

Ontem o que se comentava é que Paulo vai mesmo lançar sua esposa (Élida Dames) caso a Justiça Eleitoral, como a maioria dos envolvidos na disputa aposta, impeça a candidatura dele, que teve sua condenação (por improbidade administrativa) em segunda instância confirmada pelos desembargadores que integram a 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça na última terça-feira. “O Paulinho (com Dames é chamado) não apoiaria Vagner porque este não moveria uma palha contra o atual prefeito quando assumisse o governo, pois a maior parte dos contratos questionáveis tem como beneficiária a empresa dele. Paulinho também acha que Vagner é  o preferido de Antonio e não Fábio Kiffer, que não tem o menor cacoete político”, diz um aliado de Antonio Marcos, que também acredita no jogo duplo.

Os próprios partidários de Paulo Dames afirmam que o ex-prefeito quer um nome que possa controlar e este não tem o sobrenome Heringer. Desta forma a Élida deverá substituir Paulinho se a Justiça Eleitoral o barrar, contrariando os que pensam que em caso de impedimento Dames optaria por apoiar o postulante do PR.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar