Josias Quintal foi condenado em março de 2017

Os prefeitos de Aperibé e Laje do Muriaé, Flávio Berriel e Rivelino Bueno não são os únicos governantes do Noroeste Fluminense que tiveram os mandatos cassados e aguardam a decisão final para deixarem a cadeira, sendo substituídos por sucessores a serem escolhidos em pleito suplementar. Reeleito em 2016, o prefeito de Santo Antonio de Pádua, Josias Quintal (foto) também não está seguro no mandato e se uma decisão da juíza eleitoral Cristina Sodré - proferida em março de 2017 - for mantida ele e o vice Carlos Roberto Alves serão  apeados dos mandatos. Em fase de recurso, o processo sequer é comentado na cidade, mas ao contrário do que membros do governo chegam a dizer, a ação continua tramitando.

Quintal foi denunciado por propaganda institucional desvirtuada e pela utilização de outdoors e distribuição de exemplares de uma revista editada para propagar os feitos de sua primeira gestão.

A juíza de primeiro grau condenou o prefeito a oito anos de inelegibilidade, decisão não aplicada ao vice-prefeito, que, no entender da magistrada, não teve ingerência nos atos praticados.

 De acordo com a ação, foram distribuídos 10 mil exemplares da publicação, na qual também foram inseridas críticas às administrações anteriores, inclusive a veiculação "de uma foto com a denominação ‘Pádua Livre, que era o nome da coligação do prefeito para as eleições de 2012".

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar