Com todos os prefeitos comprometidos apoio fica praticamente impossível

 

Com cerca de três milhões de eleitores, a Baixada Fluminense tem contribuído de forma significativa para eleger políticos de fora, que depois dão às costas para o povo. Tem sido assim há anos e, ao que parece, não será muito diferente nas eleições de 2018. Porém, pelo menos para um "forasteiro" as coisas ficaram difíceis na região, pois os prefeitos da maioria dos municípios já estão comprometidos com nomes locais. O "estranho" em questão é o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que só conta hoje com o apoio do prefeito de Nova Iguaçu, Rogério Lisboa, que também não está muito à vontade para cumprir a palavra, a não ser que o presidente da Câmara de Vereadores, Rogério Teixeira Júnior, o Juninho do Pneu, aceite concorrer a deputado estadual.

O desconforto de Maia foi criado por ele mesmo. Rodrigo passou o tempo inteiro dizendo que seria candidato a presidente da República e com isso seu grupo de apoio foi se desmontando, assumindo compromissos com outros deputados federais. Em Nova Iguaçu, por exemplo, o prefeito convenceu o presidente da Câmara de Vereadores a trocar o MDB pelo DEM. Mesmo sob o risco de perder o mandato por infidelidade partidária Juninho do Pneu mudou de partido e recebeu em troca a promessa de apoio amplo numa eleição para deputado federal. Com Maia recuando na intenção de concorrer a presidente, o que se pergunta hoje é: Quem Rogério Lisboa vai apoiar para deputado federal?

Com cerca de 590 mil eleitores, Nova Iguaçu é o segundo colégio eleitoral da Baixada e contará – só para deputado federal – com pelo menos cinco candidatos com certo poder de fogo e outros dois com força suficiente para tocarem o barco sozinhos. Com a gestão de Lisboa não está lá essas coisas, não deverá sobrar muito para ele transferir ao amigo Rodrigo Maia se Juninho mantiver sua intenção de disputar uma cadeira em Brasília.

Correr para Duque de Caxias nem pensar, pois o prefeito Washington Reis resolveu lançar mais um irmão na política. Se a opção for  São João de Meriti a coisa se complica ainda mais, pois o prefeito João Ferreira Neto fechou a porteira e vai apoiar seu vice, o empresário Gelson Azevedo. E Belford Roxo? Perguntaria alguém. Lá também está difícil, pois a primeira dama Daniela Carneiro vai concorrer pelo MDB.

Sobraram então Queimados, Mesquita, Magé, Nilópolis, Paracambi e Seropédica, onde os prefeitos estão mais do que comprometidos. Em Mesquita Jorge Miranda vai apoiar vários candidatos e em Nilópolis quem dá as cartas é o prefeito Farid Abraão, que vai apoiar o primo Simão Sessim. 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar