O juízo da Vara Única do município de Casimiro de Abreu, no interior fluminense, determinou hoje (20) o afastamento, por 180 dias, do presidente da Câmara da cidade, Rafael Jardim (foto) e dos vereadores Bruno Miranda e Leilson Ribeiro da Silva, o Neném da Barbearia. A medida cautelar foi tomada a pedido do Ministério Público, que investiga um esquema de compra de votos na Casa para que as contas do ex-prefeito Antonio Marcos Lemos fossem reprovadas e ele ficasse inelegível por oito anos. Com a saída de Rafael o vice-presidente Ademilson Amaral da Silva, o Bitó, assumirá o comando do Poder Legislativo. Além do afastamento decidido hoje, a Justiça expediu mandados de busca e apreensão, dois deles cumpridos nas casas do prefeito Paulo Dames e do empresário Wender Veloso, o Careca do Gás.

Conforme o elizeupires.com já havia noticiado, o esquema foi denunciado ao Ministério Público na última sexta-feira (13) pelo vereador Neném, mas ele só fez isso depois de uma operação de busca e apreensão realizada na manhã daquele dia na residência de uma pessoal a qual ele teria confiado as gravações em áudio que sustentam a denúncia.

Neném seria o voto decisivo para reprovar as contas do ex-prefeito – analisadas no dia 11 de abril deste ano – e sua colaboração teve o preço fixado em R$ 100 mil por um empresário que tem contratos com o município, mas ele recusou a proposta e votou pela aprovação das contas de Antonio Marcos. O denunciante prestou depoimento à Promotoria de Justiça e entregou ao MP cinco arquivos de áudio com conversas entre ele, Rafael Jardim, Bruno Miranda e o empresário Wender Veloso, que confirmou uma proposta de R$ 100 mil, quantia que seria paga em um apartamento que o prefeito Paulo Dames mantém em Niterói.

O Ministério Público também pediu o afastamento do prefeito Paulo Dames, mas a Justiça não concedeu.

 

Matérias relacionadas:

Vereador denuncia esquema de compra de voto para reprovar as contas do ex-prefeito na Câmara de Casimiro de Abreu

Escândalo abala as estruturas do governo em Casimiro de Abreu

Escândalo em Casimiro de Abreu: denúncia só foi feita após apreensão

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar