Em recesso por conta da Semana da Pátria, os vereadores de Mangaratiba deverão se reunir extraordinariamente para eleger um novo presidente e empossar este como prefeito interino já que o atual, Vitor Tenório, o Vitinho, está com prisão temporária e é considerado foragido pela Justiça. Requerimento nesse sentido foi feito pelo vereador Renato José Ferreira. A cidade vinha sendo governada interinamente por Vitor, primeiro na linha sucessória com a cassação dos mandatos do prefeito e do vice eleitos em 2016, por ser o presidente da Câmara, que passou a ser comandada pelo vice-presidente. Como a Casa não tem uma mesa diretora legalmente eleita, Renato quer que seus pares escolham uma nova comissão, para que o novo presidente governe o município até a posse do prefeito e do vice a serem eleitos no pleito suplementar marcado para o dia 28 de outubro.

Na última sexta-feira (31), o Ministério Público, com auxílio da Polícia Civil, realizou uma operação para prender Vitinho, o ex-vereador Pedro Bertino Jorge Vaz e o vereador Edison Ramos, denunciados por dispensa indevida de licitações e desvio de recursos públicos na contração de viagens para vereadores e servidores da Casa, despesas que passaram de R$ 17 milhões.

Embora Vitor ainda não tenha se apresentado para cumprir a prisão preventiva, seu advogado, Zoser Plata Bondim Hardman de Araújo, impetrou um pedido de habeas corpus para que ele responda o processo em liberdade. O recurso foi recebido pelo Segundo Grupo de Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e poderá ser julgado ainda esta semana.

 

Matérias relacionadas:

Prefeito interino de Mangaratiba está foragido

Viagens de vereadores podem custar caro aos viajantes

Viagens dos vereadores de Mangaratiba custaram R$ 4,2 milhões

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar