O deputado Marcelo Aro, do PHS de Minas Gerais, voltou ao comando nacional do partido. Ele havia perdido a presidência da legenda em medida liminar concedida no dia 24 de setembro a seu adversário, Eduardo Machado. O retorno de Aro é garantido por uma decisão tomada nesta quarta-feira (3) pelo desembargador Guilherme Gutemberg Isac Pinto, da 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Goiás. Com essa decisão a presidência do PHS no estado do Rio de Janeiro permanece com o prefeito de São João de Meriti, João Ferreira Neto, o Dr. João, o que significa 'água no chope' do ex-prefeito Sandro Matos – aliado de Machado –, que  mesmo filiado ao PSD disse que as candidaturas lançadas pelo PHS no Rio seriam revistas, declaração recebida como indireta para o vice-prefeito da cidade, Gelson Azevedo, candidato a deputado federal pelo PHS e membro do grupo de Aro.

Quando saiu a primeira decisão Sandro alardeou que seu irmão, Gil Matos, seria o presidente do PHS no território fluminense em substituição a Dr. João e que, com isso, toda a nominata lançada pelo partido para as eleições deste ano seriam revistas pela nova comissão, esquecendo-se de que as candidaturas a deputado estadual e federal foram definidas em convenção e deferidas pelo Justiça Eleitoral, ao contrário da dele, que teve o pedido de impugnação apresentado pelo Ministério Público Eleitoral acatado pelo TRE e  ele está concorrendo sub judice, na condição de "indeferido com recurso".

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar