No total 63,52% dos votos para deputado federal foram para candidatos de fora e apenas e 43,66% dos eleitores optaram por políticos da cidade na hora de escolher parlamentares estaduais

 

Dos 46 candidatos a deputado federal declarados eleitos todos foram votados em Magé, embora a grande maioria deles nem conheça a cidade. Eles somaram 37,94% dos 63,46% da votação conferida a nomes de fora que concorreram à Câmara dos Deputados este ano. Os números, que praticamente se repetiram na eleição para deputado estadual, mostram que os mageenses continuam preterindo os nomes locais, o que só prejudica o município, que mais uma vez vai ficar sem representação em Brasília, embora tivessem sido lançados quatro candidatos, José Augusto Nalin (12,85%), André Lopes do Nascimento (9,62%), Ricardo Correa de Barros (9.01%) e Marcelle Cozzolino de Oliveira (5,06%).

Se analisados pelo índice de abstenção, votos nulos e brancos, os números revelam uma rejeição ainda maior: dos mais de 180 mil eleitores aptos a votar este ano, 42.913 optaram por não comparecer às urnas e dos 138.413 que saíram de casa para votar 14.932 anularam o voto e 9.098 votaram em branco para deputado federal, um total de 66.943 não captados pelos candidatos.

Embora Magé tenha conseguido eleger dois deputados estaduais (Renato Cozzolino Harb e Vandro Lopes Gonçalves), que juntos obtiveram 40,98% dos votos válidos, a rejeição a nomes locais também se confirma em relação à disputa por vagas na Assembleia Legislativa, pois 59,02% dos eleitores que votaram optaram por candidatos de fora.

O resultado oficial da Justiça Eleitoral mostra que na eleição para deputado estadual, os votos nulos somaram 13.676 (9,88%) e os brancos 9.487 (6,85), números que adicionados ao volume de abstenção chegam ao total de 66.076 votos não captados.

 

Documento relacionado:

Resultado da votação do primeiro turno em Magé

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar