Os dois tiveram candidaturas a deputado impugnadas

 

Barrados no pleito deste ano pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, que impugnou seus registros de candidaturas a deputado, os ex-prefeitos de São João de Meriti e Duque de Caxias, Sandro Matos Pereira e José Camilo dos Santos, o Zito, concorreram sub judice, não tiveram votação suficiente para se elegerem e seus votos não foram computados. Mesmo assim eles apresentaram recursos no Tribunal Superior Eleitoral e seus pedidos foram negados. O processo de Sandro foi relatado pelo ministro Jorge Mussi e o de Zito pelo ministro Edson Fachin.

Sandro Matos foi impugnado porque teve as contas de gestão referentes aos exercícios de 2015 e 2016 reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado e pela Câmara de Vereadores. A situação de Zito é semelhante: foi considerado inelegível porque teve as contas de 2012 reprovadas pelo o Tribunal de Contas do Estado e pela Câmara de Vereadores.

O ex-prefeito de São João de Meriti concorreu a deputado federal pelo PSD e teve apenas 14.756 votos. Já José Camilo foi candidato a deputado estadual pelo PP e somou 22.796.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar