E o segundo suplente do senador Flávio Bolsonaro pode vir a ser o escolho

 

As eleições municipais só vão acontecer daqui a dois anos, mas algumas peças já começam a ser mexidas no tabuleiro da política na Baixada Fluminense. Embalado pela carreta de votos que os Bolsonaro (pai e filho) tiveram na região, o ex-nanico Partido Social Liberal (PSL), deverá lançar candidaturas próprias a prefeito em alguns municípios e em Mesquita – cidade governada pelo tucano Jorge Miranda – um nome novo na política tem sido ventilado para entrar na disputa pela chefia do Poder Executivo em 2020, o empresário Leonardo Rodrigues, segundo suplente do senador recém-eleito Flávio Bolsonaro. Quem também poderá se lançar é o petista Artur Messias, que governou o município por dois mandatos consecutivos.

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar