... e quatro nomes são citados nos ambientes políticos da cidade

 

Passados dois anos, dois meses e 24 dias desde a posse do governo eleito em outubro de 2016, Japeri, município mais pobre da Baixada Fluminense, encontra-se parado no tempo. O prefeito escolhido com apenas 611 votos de diferença para o segundo colocado está preso. A gestão ou o que deveria ser uma gestão, vem sendo feita pelo vice que há quase oito meses no cargo ainda não disse a que veio. Porém, atraso e má administração a parte, internamente o tabuleiro do jogo político já está sendo movimentado. O que se comenta nos corredores do poder é que há pelo menos quatro interessados piscando os olhinhos para a Prefeitura: o ex-prefeito Ivaldo Barbosa dos Santos, o Timor, o vereador Helder Pedro, o ex-vereador Jonas Cruz e a vereadora licenciada e secretária de Educação Roberta Bailune. Quanto ao prefeito em exercício nada se comenta além de que o seu desempenho no governo desabonaria qualquer tentativa eleitoral.

No cargo de secretária praticamente desde a gestão do prefeito Timor, Roberta não é unanimidade no governo. Varias tentativas de puxadas de tapete já foram feitas internamente, mas é vista por alguns como a "bola da vez" no sentido de uma candidatura a prefeita em 2020, mesmo os números da Educação não sendo muito favoráveis politicamente falando.

No caso de Timor, os adversários falam de uma conta de gestão reprovada pela Câmara de Vereadores, mesmo com parecer prévio favorável do Tribunal de Contas do Estado. A reprovação – sem qualquer base técnica – foi comandada por um colega de cárcere do prefeito Carlos Moraes Costa, o ex-presidente da Casa, Wesley George de Oliveira, o Miga. Isto aconteceu na sessão do dia 14 de dezembro de 2017 e pode ser revertido na Justiça.

Vereador de oposição tanto na gestão de Timor quanto na administração Carlos Moraes-Cezar Melo, Helder Pedro Barros já começou a pavimentar os caminhos e já tem o apoio declarado do presidente da Assembleia Legislativa, André Ceciliano, três vezes derrotado em suas pretensões de governar a cidade. Helder tem bom trânsito em todos os setores. Uma eventual candidatura, avalia os mais atentos de Japeri, só teria dificuldades no enfrentamento com Timor.

Ex-vereador, Jonas Cruz deixou de tentar a reeleição em 2016 para concorrer ao cargo de prefeito. Disputou pelo PSC e ficou em quarto lugar, somando 2.128 votos. Apesar da baixa votação, a aposta é de que viria mais forte em 2020, inclusive com apoio de fora, do prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis, que também quer lançar uma candidatura em Magé.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar