Pai do prefeito Diogo, Aluizio Balieiro, estaria por trás dos "galanteios" ao principal rival

 

O ex-prefeito e ex-deputado de Resende, Noel de Carvalho, ainda não se pronunciou sobre a suposta "corte" do prefeito Diogo Balieiro Diniz, para que desista de disputar a sucessão municipal em 2020 em troca da vaga de vice do atual comandante do Executivo local, revelada ontem (6) pelo elizeupires.com. O único membro da família a se manifestar foi o ex-prefeito Silvio de Carvalho, mas pelo que ele postou nas redes sociais, parece que o filho não herdou a perspicácia do pai, pois o comentário divulgado sugere que ele leu e não entendeu nada na matéria Resende: Balieiro estaria "piscando os olhos" para Noela qual se propunha a comentar.

Supostamente articulada pelo pai do prefeito e antigo aliado de Noel, o ex-vereador Aluizio Balieiro, a manobra caiu como uma bomba entre os diversos dirigentes políticos locais, entre os quais Diogo Balieiro é tido como "traidor", já que teria virado as costas para os partidos de sua coligação  depois de vencer a eleição de 2016, tendo inclusive abandonado seu próprio partido (PSD) para ingressar no DEM após uma "piscada de olho" do cacique nacional da sigla, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

A dita manobra de Aluizio seria uma jogada de mestre e um golpe mortal que o pai do prefeito até então guardava a sete chaves. O golpe de misericórdia seria dado durante o período das convenções municipais do ano que vem com intuito de evitar qualquer reação dos partidos de oposição, que já estariam migrando em peso em direção a Noel. Enquanto isso, o ex-prefeito José Rechuan e a esposa dele, a ex-deputada Ana Paula Rechuan, continuam em cima do muro em relação a disputarem ou não o pleito eleitoral de 2020.

Pelo lado do atual prefeito também houve quem rejeitasse uma possível aliança, lembrando que na disputa eleitoral de 2016, mesmo com uma diferença pequena (1.919 votos), Diogo venceu Noel. Além disso, entre os Balieiro, teve quem risse bastante de um comentário feito nas redes sociais por um aliado de Carvalho, se manifestando como se já existisse mesmo um acordo e que este fora pelo contrário, com o atual prefeito sendo o vice de Noel. Acharam mais graça ainda do final, quando o autor afirma: "eu mesmo avalizei".

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar