O prefeito de Casimiro de Abreu – município do interior do estado do Rio de Janeiro – vai ter que devolver R$ 10 milhões aos cofres da municipalidade. Paulo Dames (foto), foi condenado por improbidade administrativa em ação ajuizada pelo Ministério Público Estadual, que o denunciou por ter contratado a empresa Associações Unidas de Moradores de Casimiro de Abreu, de propriedade de Ibson Dames, seu primo, para fornecer mão de obra e executar projetos na rede municipal de saúde. A Justiça determinou ainda o afastamento do cargo e a perda dos direitos políticos por cinco anos.

De acordo com o que foi apurado pela 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva (Núcleo Macaé), a empresa contratada não possuía qualquer aptidão ou qualificação técnica para execução do objeto do contratado. O convênio foi firmado através do Fundo Municipal de Saúde e a empresa recebeu repasses entre 2002 e 2005, no segundo mandato de Paulo Dames.

Para o Ministério Público, a empresa do primo do prefeito seria "mera executora das decisões da administração e não possuía qualquer ingerência dos recursos humanos".

Ainda cabe recurso e Dames só perde deixa o cargo se a decisão for mantida em instância superior.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar