Geraldinho somou na campanha de 2016, mas teria sido traído pelo atual prefeito

 

Em um vídeo publicado no último final de semana nas redes sociais, o atual vice-prefeito de Resende, Geraldo da Cunha, o Geraldinho (foto), garante que disputará a sucessão em 2020, contra o atual prefeito Diogo Balieiro Diniz. Para boa parte da população, o anúncio de Geraldinho confirma sua "esterilidade" na administração municipal. O que também agrava o esvaziamento político de Balieiro, que largou na pista os partidos que marcharam ao lado dele em 2016, além de diversos aliados considerados importantes, entre eles Geraldinho. Peripécias que renderam fama de traidor ao prefeito e que deverão complicar o caminho dele no ano que vem.

"Vou lutar pelo bairro Itapuca, lutar pela Alegria Velha. Hoje não temos aqui um posto de saúde, não temos aqui uma praça, não temos uma creche para atender a população daqui, que é carente. Tem muita gente que vive neste bairro há muitos anos e precisa dos benefícios. Eu me comprometo a trabalhar por este bairro", diz Geraldinho, no vídeo.

Importante para a vitória de Balieiro, Geraldinho acabou sendo colocado na geladeira já nos primeiros dias de governo. Informações de interlocutores e alguns internautas que resolveram denunciar a "mordaça" que teria sido colocada no vice ainda nas primeiras semanas de 2017 davam conta de que ele não exerceria qualquer participação ativa e relevante no governo de Balieiro, que durante a campanha eleitoral fazia questão de exaltar a importância do vice. Mas ao que tudo indica, o governante parece ter a memória curta quando lhe é conveniente e, pelo andar da carruagem, a palavra gratidão também ficou pelo caminho.

 

Matéria relacionada:

Ciúme faz prefeito “amordaçar” o vice em Resende

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar