Quando pensam no país, na economia de suas regiões, nas finanças pessoais ou na segurança dos empregos as expectativas do brasileiro estão piorando. Hoje, 59% das pessoas acreditam que o Brasil está no rumo errado contra 40% em janeiro. No mesmo período, foi de 46% para 31% a proporção daqueles que veem o país no rumo certo. Os dados são da quinta tomada da Pesquisa Hello Monitor Brasil, da agência Hello Research, realizada pessoalmente entre os dias 3 e 14 de maio com 1238 entrevistados...

De acordo com o resultado, no momento, a palavra que melhor define o sentimento do brasileiro em relação ao futuro do país é "preocupação". Ela foi a escolhida por 46% dos entrevistados. Os otimistas são hoje 23% da população mas em janeiro eram 41%. No mesmo período, aumentou de 56% para 75% os que consideram que a crise econômica não será superada este ano.

Os resultados acompanham a piora da avaliação da administração do presidente Jair Bolsonaro, do PSL. Ao longo dos 5 primeiros meses de mandato houve tendência de queda nas avaliações ótima e boa e de aumento das avaliações ruim e péssima. No mês da posse do presidente, 39% avaliavam como ótimo e bom e 17% como ruim ou péssimo. Hoje, são 25% de ótimo e bom contra 39% de ruim ou péssimo.

Investir no futuro –  Em janeiro, 45% se sentiam muito mais ou um pouco mais confiantes para investir em seu futuro do que estavam seis meses antes. Hoje são 32%. Por outro lado, 43% dizem estar um pouco menos ou muito menos confiantes do que há seis meses, e em janeiro eram apenas 27%. A região Sul tem a população mais otimista, onde 50% estão muito ou um pouco mais confiantes enquanto a do Nordeste é a mais pessimista, com 53% das pessoas sentindo-se um pouco menos ou muito menos confiantes para investir no futuro comparando com seis meses atrás.

Hoje também há menor confiança em relação a segurança dos empregos do que no início do ano. Caiu de 39% para 26% os que se sentem muito mais ou um pouco mais confiantes enquanto subiu de 28% para 43% os que se sentem um pouco menos ou muito menos confiantes. Sul e Nordeste também representam, respectivamente, os mais confiantes e mais pessimistas.

Mas o brasileiro é conhecido por ter fé no futuro, e quando pensam nos próximos seis meses, 43% acreditam que a própria situação financeira estará muito melhor ou um pouco melhor e apenas 18% creem que estarão em situação um pouco pior ou muito pior. O dado negativo é que ao longo dos meses o otimismo vem caindo enquanto dobrou a proporção dos mais pessimistas. Já em relação ao futuro da economia da região em que moram, as previsões são mais negativas, com o Nordeste tendo a população mais pessimista para os próximos 6 meses e o Sul e o Centro-Oeste a mais otimista.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar