Plenário poderá votar pautas prioritárias da bancada feminina

 

Após o recesso de carnaval, os deputados retomam os trabalhos esta semana com a expectativa de instalação da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) para dar início à tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência. O presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que espera instalar nesta quarta-feira (13) as 12 principais comissões permanentes da Câmara, inclusive a CCJ, a primeira a analisar a reforma da Previdência. A proposta ainda passará por uma comissão especial antes de seguir para o plenário, onde precisa ser aprovada por três quintos dos deputados em dois turnos de votação.

Sessões na Câmara e no Senado só a partir do dia 12

 

Após a maratona do carnaval, se para a maioria dos brasileiros ontem foi dia de voltar ao trabalho, para deputados e senadores, retorno às atividades, só na semana que vem. Na manhã de quarta-feira de cinzas (6) movimento no prédio do Congresso, só do pessoal que cuida da troca do carpete do Salão Verde da Câmara e da lavagem do capete azul do Senado.  Até a próxima terça-feira (12), quando estão marcadas as próximas sessões deliberativas nas duas Casas, serão 12 dias ¨de recesso”, sem votações. A última foi na quarta-feira passada, dia 27 de fevereiro.

Alguém precisa avisar ao governador Romeu Zema (foto) e ao comando da Polícia Militar de Minas Gerais que o estado é uma unidade da federal e como tal tem de respeitar a liberdade de expressão e a livre manifestação, garantias dadas ao cidadão brasileiro, gostem o governante e sua tropa ou não. Os responsáveis pelos blocos carnavalescos de Belo Horizonte foram avisados pela PM de que se continuarem com frases de efeito contra o presidente Jair Bolsonaro poderão ser presos. A corporação nega a censura, mas manteve o comunicado, alegando que objetivo do controle é evitar desavenças. E como mais uma justificativa saiu-se com essa: "o cidadão vai para o bloco por diversão e não por política". Então tá, né!

O ex-prefeito recebeu convite para ingressar no partido

 

O líder do Podemos na Baixada Fluminense e prefeito de São João de Meriti, João Ferreira Neto, o Dr. João, se reuniu ontem (27) com o ex-prefeito de Japeri, Ivaldo Barbosa de Souza. Timor, como o político é mais conhecido, foi eleito em 2008, reeleito em 2012 e pretende disputar as eleições de 2020 pela legenda, a qual deverá se filiar nos próximos dias. João Ferreira era presidente estadual do PHS, partido agora incorporado ao Podemos. "Estamos trabalhando para ampliar os quadros da legenda na região, assim como fizemos com o PHS", disse Dr. João.

O ex-deputado federal e foi 6º colocado na eleição para presidente

 

Sexto candidato mais votado para presidente da República em 2018, com mais de 1,3 milhão de votos – superando Henrique Meirelles (MDB), Marina Silva (Rede) e Álvaro Dias (Podemos) – o ex-deputado federal Benevenuto Daciolo Fonseca dos Santos, mais conhecido como Cabo Daciolo, foi recebido no Podemos pelos presidentes nacional e regional da legenda, Renata Abreu e Romário Farias, respectivamente. A meta do político é disputar a Prefeitura do Rio em 2020. O Podemos incorporou o PHS e passou a ser a terceira maior bancada, atrás apenas do MDB e do PSDB, crescendo também na Câmara dos Deputados, subindo de 11 para 17 parlamentares.