Pedro Fernandes para a Educação e Eduardo Lopes para Agricultura

 

O deputado federal Felipe Bornier (foto) foi confirmado há pouco pelo governador eleito Wilson Witzel para comandar a Secretaria de Esportes. Felipe, que na conseguiu se reeleger, abraçou a campanha de Witzel desde o início. Também foram confirmadas hoje a escolha do deputado estadual Pedro Fernandes para a Secretaria de Educação e do senador Eduardo Lopes como secretário de Agricultura. Com estes três nomes fica definido o primeiro escalão do novo governo.

Preso desde o dia 30 de novembro sob a acusação de comandar um suposto esquema de corrupção, o deputado estadual eleito e ex-prefeito de Silva Jardim, Wanderson Gimenes Alexandre, o Anderson Alexandre, pode ter o diploma e posse sustados pela Justiça, a pedido da Procuradoria Regional Eleitoral, podendo levar consigo a prefeita Maria Dalva do Nascimento, que já é ré, junto com ele, em uma ação julgada em primeira instância, agora tramitando no Tribunal Regional Eleitoral. Se a decisão de primeira instancia for mantida ela perde o mandato e uma eleição suplementar é marcada.

Entrou na Justiça para atuar na Câmara e na Prefeitura simultaneamente

 

Contrariado com a realização de uma eleição para nova composição da mesa diretora da Câmara, o prefeito interino de Italva – município do interior fluminense – Claudinei de Souza Mello (foto) recorreu à Justiça para tentar retornar à Casa e participar da votação. O pedido esquisito do político foi negado pelo juiz Rodrigo Pinheiro Rebouças, da Vara Única do município. Mello queria anular a eleição vencida pelo vereador Alcirley de Campos Lima e o direito de participar de uma nova votação. Claudinei deixou a presidência da Câmara para assumir temporariamente a Prefeitura após a cassação da prefeita Margareth de Souza Rodrigues e do vice, Bruno Silva de Souza, por crime eleitoral.

Já a posse não está garantida, o que aumenta a expectativa entres os suplentes

 

Os deputados eleitos em outubro no estado do Rio de Janeiro foram diplomados ontem (18) pelo Tribunal Regional Eleitoral. Nem todos: seis dos 70 que conquistaram uma cadeira na Assembleia Legislativa ficaram de fora, pois estão em prisão preventiva. Estes deverão receber seus diplomas nesta quarta-feira (19), por representantes com procuração, mas a posse é outra história. Não está garantida e eles só poderão assumir os respectivos mandatos se estiverem livres num prazo de 60 dias a contar de 1º de fevereiro de 2019, data da posse. 

Motivo seria fraude em atas de convenções partidárias para candidaturas em 2016

 

A vereadora Marcilene Mendonça Xavier (foto) foi afastada do mandato por tempo indeterminado pela Justiça, que também determinou a prisão de duas assessoras. Thais Gabardo, assessora de gabinete da Prefeitura e Aline Cristina Garcia, chefe de gabinete da presidência da Câmara de Vereadores, foram presas no final da tarde de ontem (13). As medidas teriam sido tomadas em processo resultante denúncia de fraude em atas de convenções partidárias nas quais foram escolhidos candidatos a vereador pela coligação que apoiou Wanderson Gimenes Alexandre, o Anderson Alexandre, prefeito reeleito em 2016, que está preso desde o dia 3 de novembro, sob a acusação de comandar um suposto esquema de corrupção e fraude em licitações.