Em 2012 uma mini câmera em forma de chaveiro foi apreendia dentro de uma seção eleitoral em Piabetá

Município terá tropas federais amanhã e fiscalização do TRE está marcando em cima

Garantir eleições tranquilas e limpas é o propósito das autoridades. Em Magé, por exemplo, município que sempre foi visto como propriedade particular por um grupo político que governou por cerca de 20 anos e agora tenta voltar ao poder, a maior preocupação é com a captação ilícita de sufrágio, a popular compra de voto. Mas contra isso atentas equipes de fiscalização estão de olhos abertos. Nas eleições municipais de 2012 foi aprendida numa seção eleitoral de Piabetá uma mini câmera em forma de chaveiro, que estaria sendo usada para que o voto comprado pudesse ser comprovado ao comprador.

A pesquisa mostra Neilton Mulin com 12,8%, José Luiz Nanci 12,2%, Dejorge Patrício 10,2% e Brizola Neto com 9,8%

Pesquisa mostra quatro candidatos tem chances de chegar ao segundo turno

A menos de 24 horas do início da votação, é impossível arriscar um palpite sobre quais candidatos à Prefeitura de São Gonçalo devem passar para o segundo turno. De acordo com resultado da pesquisa de intenção de votos feita pelo Instituto GPP, dois concorrentes estão embolados na primeira colocação e outros dois na segunda. Segundo a consulta, registrada na Justiça Eleitoral sob o número RJ-08526/2016, o prefeito Neilton Mulim (PR) tem 12,8% das intenções de voto e o deputado estadual José Luiz Nanci (PPS) 12,2%. Os números apontam empatados em segundo lugar os candidatos Dejorge Patrício (PRB) e Brizola Neto (PDT), com 10,2% e 9,8% respectivamente.

Rogério Lisboa, Carlos Moraes Costa e Carlo Busatto estão entre os que dependem de decisão judicial

E o Tribunal Superior Eleitoral informa que votos conferidos a candidatos com registro pendentes serão separados e anulados se o indeferimento dos registros for mantido em decisão judicial transitada em julgado

Treze candidatos a prefeito de seis municípios da Baixada Fluminense estão concorrendo sob efeito de recursos judiciais e, embora seus nomes e números estejam inseridos nas urnas, os votos a eles conferidos serão computados em separado se até o fim da noite deste sábado eles não tiverem revertido para “deferido” o status de “indeferido com recurso”. Nesta situação encontram-se Carlos Moraes Costa (PP) e José Alves do Espírito Santo, o Zé Ademar (PSDB), em Japeri; Deodalto José Ferreira DEM, Nielsen Bezerra (PSOL) e de Elizabeth Machado (Rede), em Belford Roxo; Fausto Teixeira (PSDB), Luciano Pereira (PRB), Miguel Stfefan (PMB), Oscar Goulart (PMN) e Antonio Heleno (PSC), em Seropedica; Carlo Busatto Junior, o Charlinho (PMDB), em Itaguaí; Rogério Lisboa (PR), em Nova Iguaçu e Ivan Romualdo (PMB) em Guapimirim. No caso de Carlos Moraes uma condenação por improbidade administrativa imposta pela Justiça Eleitoral complica ainda mais a situação dele que, já governou a cidade por duas vezes e desde as eleições de 2004 vem tentando recuperar o poder.

O prefeito Helil Cardozo se perdeu no meio do caminho e está pagando por isto (Foto: O Fluminense)

Helil Cardozo tem 75,8% de rejeição e 87,5% de rejeição

Eleito em 2012 com a proposta de mudar a realidade de Itaboraí, Helil Cardozo está é entrando para história como o prefeito mais rejeitado que o município já teve. De acordo com pesquisa feita entre os dias 21 e 25 deste mês pelo Instituto Paraná, ele é rejeitado por 75,8% dos eleitores e sua gestão tem um índice de 87,5% de reprovação. A amostra, que foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número RJ-07735/2016, revela ainda que apenas 4% dos eleitores pretendem votar nele outra vez. Segundo a pesquisa - que tem intervalo de confiança de 95% e margem de erro de 4,7% para cima ou para baixo - se as eleições fossem hoje candidato do PMB, Sadinoel Oliveira Gomes de Souza estaria eleito com 34% dos votos.

De acordo com a pesquisa Farid Abrão teria hoje mais votos que todos os adversários juntos

Atual prefeito está em segundo lugar com uma diferença de 24%

Se as eleições fossem hoje o deputado estadual Farid Abrão David, candidato a prefeito de Nilópolis pelo PTB, estaria eleito com 51,01% dos votos. É o que revela pesquisa realizada esta semana pelo IBPS, registrada na Justiça Eleitoral sob o número sob nº RJ- 04334/2016. De acordo com a amostra, o prefeito Alessandro Calazans (PMDB), está em segundo lugar, com 26,08 pontos percentuais. Wilson Josuilson Soares (Rede) tem 1,5% das intenções de voto e Wenderson Dias Ribeiro (PSOL) 0,5%. O IBPS entrevistou 601 eleitores entre os dias 24 e 25 de setembro e a consulta tem intervalo de confiança de 95% e margem de erro de 4% para mais ou para menos. De acordo com os números, 10% dos eleitores ainda não decidiram em quem votar, 9,3% pretendem votar em branco ou anular o voto e 0,8% não responderem ao questionário.