Paulo Dames, Fabio Kiffer e Vagner Heringer sãos os pré-candidatos a prefeito que mais pontuam

Os três pré-candidatos a prefeito que mais pontuam em pesquisa podem representar qualquer coisa, menos mudança

Um já foi prefeito por três vezes (dois mandatos consecutivos), tem decisão condenatória por improbidade administrativa confirmada em segunda instância e foi condenado pelo Tribunal de Contas a devolver mais de R$ 5 milhões aos cofres da municipalidade, por superfaturamento e irregularidades em contratos para fornecimento e prestação de serviços firmados em suas gestões. Outro, apesar de nunca ter disputado um mandato eletivo carrega o peso do comprometimento com o prefeito Antonio Marcos Lemos - por quem foi lançado como possível sucessor -, que, segundo pesquisa realizada no mês passado tem um índice de 64% de reprovação, enquanto o terceiro é um empreiteiro que coordenou a campanha do atual governante da cidade e que até o fim do ano passado tinha volumosos contratos com a administração municipal. Eles são Paulo Dames (PSB), Fábio Kiffer (PSC) e Vagner Heringer (PR) que, de que de acordo com a consulta de intenção de votos feita pelo Ipespe, têm 43%, 17% e 12% das intenções de votos, respectivamente.

     O vereador Odino Miranda assumiu o comando da Câmara de Vereadores de Casimiro de Abreu. Vice-presidente, ele entrou no lugar do presidente Alexandre Macabu de Araújo, afastado por até 180 dias em decisão tomada pelo juiz Rafael Azevedo Ribeiro Alves, da Vara Única do município. Pezão, como Alessandro é mais conhecido na cidade, foi denunciado pela 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva (Núcleo de Macaé), por ato de improbidade administrativa em ação civil pública. Segundo o MP, Pezão, o ex-chefe de gabinete Jairo Macabu e o assessor especial Wilson da Silva Oliveira estão envolvidos em esquema de apropriação de parte da remuneração de servidores nomeados em cargos em comissão e funções gratificadas.

O PT tem 26 cargos de confiança na Prefeitura com salário de até R$ 14 mil além de 10 contratados temporários

O município gasta mais de R$ 1,8 milhão por ano com filiados ao Partido dos Trabalhadores

Embora aparentemente ninguém na cidade queira a companhia de um membro do Partido dos Trabalhadores nos palanques da campanha eleitoral deste ano, uma aliança firmada em 2012 entre o atual prefeito de Rio das Ostras e o diretório local do PT está onerando em muito os cofres da municipalidade. Filiados ao partido que está indo à pique por causa dos escândalos dos governos Lula e Dilma trazidos à tona pela Operação Lava Jato, estão custando - entre salários e benefícios - R$ 1.871.316,00 anualmente aos cofres da Prefeitura, embora o prefeito Alcebíades Sabino dos Santos (hoje no PSDB) viva chorando pelos cantos, lamentando que o município não tem dinheiro para nada.

A união entre José Augusto Nalin e Ricardo da Karol começou a ser costurada em 2015 durante uma festa de aniversário

Pré-candidatura de Ricardo da Karol une diretório e militância

Egresso do PSDC, ligado a José Augusto Nalin, o corretor de imóveis Marcos Pessanha, mais conhecido em Magé como Sabiá, comanda hoje a Secretaria Municipal de Habitação, mas sua participação no governo está longe de representar uma divisão no PMDB. Quem garante isso são as lideranças do partido no município, que com a união entre Nalin e o suplente de deputado estadual Ricardo Corrêa de Barros, o Ricardo da Karol, fechou a questão pela apresentação de um nome único à convenção que vai definir em julho a candidatura a prefeito. Lançado pré-candidato, o próprio Ricardo tem trabalhado no sentido de pavimentar a estrada que pode levá-lo ao Palácio Anchieta, hoje ocupado por Rafael Santos de Souza, o Rafael Tubarão, com quem as lideranças locais do PMDB mantém estreito relacionamento, embora Rafael - que será confirmado no cargo na tarde de hoje pela Câmara de Vereadores - seja pré-candidato pelo PPS.

Heringer e Paulo Dames não se tratam como adversários e um impedimento do segundo pode levá-lo a somar com o segundo

Pesquisa confirma liderança de ex-prefeito de Casimiro de Abreu e aponta que nome indicado pelo atual prefeito é o mais rejeitado

Com uma reprovação de 64% (segundo pesquisa realizada entre os dias 14 e 16 deste mês), o prefeito de Casimiro de Abreu tomou um susto danado esta semana. É que enquanto Antonio Marcos Lemos (PSC) comemorava a manutenção pelo Tribunal de Justiça de uma condenação por improbidade administrativa imposta ao ex-prefeito Paulo Dames (PSB), correntes políticas espalharam pela cidade que Dames - que lidera a consulta com 43% das intenções de votos - poderá unir-se ao empresário Vagner Heringer, pré-candidato a prefeito pelo PR, listado na pesquisa com 12%, cinco pontos atrás do segundo colocado, o pré-candidato do governo, Fábio Kiffer (PSC), que tem 17% da preferência do eleitorado, mas aparece com uma rejeição de 32%. Com margem de erro de 5.8% para cima ou para baixo, a pesquisa foi feita pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) e está registrada TSE sob o número RJ-09900/2016 e 50ª Zona Eleitoral (Protocolo 65.794/2016).