Pela Lei Complementar n° 135/2010, a Lei da Ficha Limpa, Paulo Dames e Alcebíades Sabino, tecnicamente estão com as fichas borradas politicamente falando, mas como advogado vê brecha até em porta de ferro tudo é possivel

Advogados acreditam que Paulo Dames e Sabino poderão concorrer nas eleições deste ano

Se o que está imposto pela Lei Complementar n° 135/2010, chamada popularmente de Lei da Ficha Limpa, é mesmo para valer basta uma decisão colegiada para deixar um político inelegível por no mínimo oito anos, disposição que inclui os pré-candidatos Paulo Dames (PSB) e Alcebíades Sabino dos Santos (PSDB), que, pelo que está na lei, são tecnicamente “fichas sujas” politicamente falando. Dames pretende voltar a governar o município de Casimiro de Abreu e Sabino quer tentar renovar o mandato por mais quatro anos. Aliados mais concentrados de ambos acham que dificilmente conseguirão registrar uma candidatura ao pleito deste ano, mas os dois têm dito que ainda não jogaram a toalha e estão sendo aconselhados por seus respectivos advogados a seguirem em frente.

O prefeito Valber Marcelo e o pré-candidato Rodrigo Medeiros, para algumas lideranças locais, estariam se sentindo senhores da vontade da população de Tanguá (Fotos: Divulgação/PMT e PRB)

Para não repetir o que lideranças comunitárias classificam como “erros do passado”

Enquanto o prefeito Válber Luiz Marcelo (PTB) vai tocando o seu lento e inseguro barco, tentando convencer a si mesmo de que é a maior força política local e o protegido do ex-prefeito Carlos Pereira, Rodrigo Medeiros (PRB) se posiciona como se já tivesse vencido uma eleição que só vai acontecer no dia 2 de outubro e nem candidato ainda é - pois as convenções que vão definir candidaturas serão realizadas entre os dias 20 de julho e 5 de agosto -, lideranças comunitárias de Tanguá, uma das cidades mais pobres do estado do Rio de Janeiro, buscam uma opção, preocupados que estão com o futuro e com o fato de os que se apresentam hoje como solução se comportarem como donos deste município de pouco mais de 30 mil habitantes, cheio de problemas e vícios de gestão, embora seja um dos mais novos do país.

Zilmara foi a vereadora mais votada em 2012 e agora é a pré-candidata a prefeita do PR (Foto: Ivan Teixeira)

Vereadora Zilmara Brandão vai disputar convenção que definirá chapa majoritária

Mais votada entre os vereadores eleitos no município de Silva Jardim em 2012, somando 5,86% dos votos válidos apurados, Silmara Brandão da Silva é pré-candidata a prefeita pelo Partido da República. É o nome dela que a legenda pretende levar à convenção que vai acontecer entre os dias 20 de julho e 5 de agosto para definir a composição da chapa majoritária e a nominata de candidatos a vereador.

O prefeito Valber Marcelo vai ter que se desdobrar para explicar a captação ilegal de apoio a seu nome atribuída a um assessor especial de seu governo

Esquema de compra de apoio eleitoral em favor do atual prefeito foi revelado por um aliciado que "aceitou" a proposta, recebeu o dinheiro e gravou a conversa como o aliciador

Morador do bairro Duques, em Tanguá, o cidadão Diomar Farias pode entrar para a história do município como o homem que resolveu passar a limpo um corrompido sistema de captação de votos que vem sendo denunciado desde 2012, mas só agora materializado em prova. Convidado por um assessor especial do prefeito Valber Luiz Marcelo de Carvalho, pré candidato a reeleição pelo PTB, Diomar fingiu aceitar a proposta financeira, gravou toda a conversa e colocou a boca no trombone. Por conta disso o Ministério Público entrou em ação e já convocou algumas pessoas para prestar depoimento. As primeiras deverão ser ouvidas na próxima segunda-feira. Em contato telefônico agora há pouco Diomar confirmou a denúncia ao elizeupires.com e reafirmou que o autor da proposta foi o assessor especial de Desenvolvimento José de Oliveira, não encontrado para falar sobre o assunto.

O deputado Iranildo Campos agora bate no que até bem pouco elogiava (Foto:Divulgação/Alerj)

Iranildo Campos agora ataca governo

Anunciando-se pré-candidato a prefeito de São João de Meriti, o deputado estadual Iranildo Campos passou agora a atacar a atual administração municipal, a mesma da qual participou como secretário de Saúde, cargo para o qual indicou o filho, Iranildo Campos Junior, quando teve de sair para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa na eleição de 2010. Para Campos, a saúde era boa quando ele e o filho comandavam o setor, mas agora está ruim, mesmo os números mostrando que o volume e a capacidade de atendimento tenham aumentado desde 2013. De acordo com registros da secretaria, com o fechamento de várias unidades na Baixada Fluminense o atendimento médico em toda a rede de São João de Meriti teve um aumento de 50%.