Casa própria para mais 900 famílias em Belford Roxo
Meriti busca recursos emergenciais em Brasília
Genro de secretária vende de quase tudo em Casimiro de Abreu
Encontro de Folia de Reis começa domingo em Belford Roxo
MP aponta 'lavagem' de R$ 34,4 milhões em Belford Roxo

Fogo atingiu o setor de arquivo da Secretaria de Saúde

A Prefeitura de Santo Antonio de Pádua, município do Noroeste Fluminense, não faz a menor ideia do volume de documentos destruído por um incêndio que atingiu parte do prédio da Policlínica Dr. Juarez Amaral de Andrade, no setor em que funcionava o arquivo de processos administrativos de licitações e compras da municipalidade. O caso está sendo investigado pela 136ª Delegacia Policial, pois há suspeita de crime, uma vez que teriam sido encontradas no local duas embalagens vazias de álcool. O agentes até já teriam identificado quem comprou o produto numa farmácia da cidade. A identificação teria sido feita através de imagens das câmeras de segurança da drogaria. Pelo que se comenta, o alvo era o espaço onde estavam os processos da Secretaria Municipal de Saúde, o único que foi queimado.

Lei estadual sancionada ontem já está em vigor

A partir de agora a Polícia Civil do Rio de Janeiro não poderá registrar mais com outro nome as ações criminosas praticadas contra templos religiosas ou fieis, independente da origem. De acordo com a Lei 7.855/18, de autoria dos deputados  André Ceciliano  e Carlos Minc, as ocorrências policiais motivadas por intolerância religiosa deverão ser obrigatoriamente registradas pelas delegacias de polícia sob o artigo 208 do Código Penal Brasileiro, que trata de crime contra o sentimento religioso. Ainda de acordo com a lei – já sancionada e publicada ontem no Diário Oficial –, a Polícia Civil terá de incluir no registro da ocorrência o subtítulo "Intolerância Religiosa".

Ninguém acredita que a Câmara de Vereadores vá aprovar comissão de inquérito

Acostumado a fazer da gestão pública um núcleo familiar desde o seu o primeiro mandato como prefeito, nomeando parentes para cargos importantes na Prefeitura, Paulo Dames deverá ter muita dor de cabeça pela frente, embora esteja certo de que na Câmara de Vereadores presidida por Rafael Jardim nada acontecerá contra ele. O escândalo da vez é a contratação de empresas registradas em nome de familiares de membros do governo e da Câmara de Vereadores, o que é vedado pela Lei Orgânica do Município. Denúncia nesse sentido será apresentada ao Ministério Público nos próximos dias, já que ninguém acredita em qualquer providência tomada pelo Poder Legislativo, que já foi provocado e deve se pronunciar só depois do dia 15 de fevereiro.

Imunização já está sendo feita na rede municipal de saúde

Marcada para começar no dia 19 de fevereiro, a campanha de vacinação contra a febre amarela no município de Magé foi antecipada e a aplicação já está acontecendo das unidades da Saúde da Família e no Centro de Imunização. A decisão foi tomada após a confirmação das mortes de pessoas acometidas pela doença em Teresópolis e Valença. “Com esse novo planejamento a campanha terá dois dias “D”, nos sábados (27 de janeiro e 24 de fevereiro) escolhidos para facilitar o acesso dos moradores que trabalham durante a semana e não têm como ir até aos pontos de vacinação. O projeto da Secretaria Municipal de Saúde, Vigilância Itinerante também fará ações nos bairros em que o acesso aos postos é mais distante. E é importante destacar que quem já tomou a vacina, não precisa tomar outra dose”, explica.

TJ derruba liminar que suspendia interdição

Interditado pela Prefeitura de Magé no dia 29 de dezembro, o Posto Fragoso, de propriedade do deputado estadual Renato Cozzolino Harb, poderá voltar ser fechado a qualquer momento. Em decisão tomada no início da noite dessa terça-feira o desembargador Juarez Fernandes Folhes, da 19ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça, revogou a liminar concedida no último dia 2, pelo desembargador Augusto Alves Moreira Junior - do plantão judiciário do TJ - suspendendo o edital de interdição expedido pela Secretaria Municipal de Fazenda, que havia cassado o alvará de funcionamento.