Casa própria para mais 900 famílias em Belford Roxo
Meriti busca recursos emergenciais em Brasília
Genro de secretária vende de quase tudo em Casimiro de Abreu
Encontro de Folia de Reis começa domingo em Belford Roxo
MP aponta 'lavagem' de R$ 34,4 milhões em Belford Roxo

Denúncia diz que tem médico ganhando salário de R$ 46 mil

Contratada sem licitação para fornecer mão de obra para a Prefeitura de Mesquita, a Cooperativa Central de Trabalho (Cootrab), vai ter de apresentar seu quadro de pessoal, valores dos salários pagos e as folhas de ponto à Câmara de Vereadores, que decidiu abrir uma comissão de investigação para apurar supostas irregularidades. A instituição teve quatro contratos assinados com a municipalidade em fevereiro do ano passado, no total de cerca de R$ 39 milhões, com prazo de 180 dias. Os compromissos foram renovados e os vereadores receberam informação de que, embora o município não tenha uma unidade de saúde serviços 24h, alguns médicos estariam recebendo adicional noturno. A denúncia – que foi lida em plenário nesta terça-feira – revela que os salários pagos aos médicos variariam entre R$ 15 e R$ 46 mil.

Em nota oficial encaminhada esta tarde, a Prefeitura de Queimados informou que, em relação ao edital do pregão para a compra de kits de uniformes que está marcado para amanhã, o item que exige declaração de comprometimento com o meio ambiente, "não é necessário que a empresa interessada em participar do certame apresente todas as três hipóteses, integralmente, atestando seu compromisso com a sustentabilidade ambiental, podendo apresentar tão somente qualquer das três formas elencadas no aludido item, como por exemplo, a simples declaração com firma reconhecida em cartório afirmando que a mesma possui compromisso". Na nota a administração municipal afirmou que "é um órgão público, idôneo e transparente, que por meio de seus procedimentos licitatórios sempre seleciona a proposta mais vantajosa para atendimento ao interesse público, sendo que seus julgamentos são em estrita conformidade com os princípios da legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da igualdade"  e que "foi dada toda a publicidade à licitação, inclusive em jornal de grande circulação, prova disso é que 30 empresas retiraram o edital". Entretanto, em dez tentativas feitas agora a pouco o elizeupires.com não conseguiu nenhuma informação sobre o Pregão Presencial 001/2018 no Portal de Transparência do município.

Licitação está marcada para amanhã e fornecedores apontam "pegadinha" em edital

Quem procura informações sobre o certame no site oficial do município não encontra nada em relação ao Pregão Presencial 1/2018, marcado para às 10h de amanhã (17), mas apesar de vários questionamentos sobre falta de transparência e de supostas "pegadinhas" no edital - o que pode acabar beneficiando um participante especificamente -, o ato para compra de kits de uniformes para atender a rede municipal de ensino está confirmado. Alguns representantes de empresas se queixam de dificuldades para fazer a retirada do edital e uma das "pegadinhas", aponta um empresário, estaria na exigência da apresentação de documento com firma registrada em cartório, provando que a empresa possui "compromisso e responsabilidade com a sustentabilidade ambiental", exigência que não caberia nesse caso, pois os fornecedores cadastrados não são fabricantes e as compras da Prefeitura não são feitas com as indústrias.

Proposta de comissão de inquérito lista duas empresas

Vencedora de vários dos processos de licitação realizado no ano passado pela Prefeitura de Casimiro de Abreu, a G&M Empreendimentos e Serviços está na mira da Câmara de Vereadores, onde o vereador Ramon Gidalte (foto), apresentou ontem requerimento para formação de uma comissão de inquérito para apurar possíveis irregularidades nos contratos firmados com o município por ela e também pela WW Casimirense, que está registrada nos nomes de Palloma de Oliveira Miranda Veloso e Simião Miranda, que seriam parentes de um membro do Poder Legislativo local.

Em situação de emergência, o município precisa de ajuda urgente

De acordo com a Defesa Civil municipal, 21.440 pessoas foram atingidas pelos estragos causados pelas chuvas que desabaram sobre São João de Meriti desde o dia 29 de dezembro, danos que levaram o prefeito João Ferreira Neto, Dr. João, a decretar situação de emergência. Nesta terça-feira ele vai se reunir com o Ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho para acelerar o reconhecimento do decreto. O prefeito montou um gabinete de crie e no dia 11 enviou ao governo federal um documento com informações sobre as áreas mais atingidas, os danos causados à população e o pedido de recursos emergenciais para recuperar os locais devastados pelas tempestades. Os bairros mais afetados foram Venda Velha, Grande Rio e Parque Juriti. Ao todo foram realizados mais de 100 ocorrências pela Defesa Civil e 3.179 atendimentos médicos.