Guapimirim virou “eldorado” para empresas recém-criadas
Empresa alvo da Lava-Jato faturou milhões em Itaguaí
Prefeito de Magé quer o MP investigando denúncias de Núbia
Guapimirim tem 115 dias de contas no escuro
Câmara de Nova Iguaçu recebeu repasse duplo em janeiro

Denúncias apontam que com convocações não estariam sendo feitas por ordem de classificação

Um concurso público realizado pela Prefeitura de Resende em 2016 para preencher cerca de 350 vagas em funções de natureza permanente vai parar na Justiça. É que a convocação, segundo denúncias de candidatos, não estaria obedecendo a ordem de classificação. Classificados no certame falam de uma suposta “convocação seletiva” e dizem que alguns aprovados nas primeiras colocações não teriam sido chamados. Além disso, o Ministério Público está de olho na “caneta nervosa” do prefeito Diogo Balieiro (foto), que já teria nomeado 600 pessoas em cargos comissionados, alguns deles para vagas destinadas aos concursados. Para esclarecer a situação o MP, através da Promotoria de Justiça da Tutela Coletiva local deu prazo de 30 dias a Balieiro para que ele apresente a relação de nomeados como comissionados que estejam em funções de provimento efetivo, especificamente as de procuradores, assessores jurídicos, psicólogos e farmacêuticos.

Além do marido enquadrado na Lei da Ficha Limpa, Manoela Peres nomeou dois cunhados para compor o governo

Afastamento do marido da prefeita vai ser analisado pela Justiça, mas a prática do nepotismo no município vai além da nomeação dele para comandar a Secretaria de Governo

Está tramitando na 1ª Vara da Comarca de Saquarema o processo 0000723-44.2017.8.19.0058, no qual está sendo pedido o afastamento do ex-prefeito Antonio Peres do cargo de secretário de Governo. Peres, que é marido da prefeita Manoela Ramos de Souza Gomes Alves, a Manoela Peres (PTN), teve a candidatura impugnada pela Justiça Eleitoral com base na Lei da Ficha Limpa, e 30 dias antes do pleito foi substituído pela esposa. Para que Peres pudesse a Câmara de Vereadores, a pedido do governo, revogou uma lei municipal que vedava a nomeação em cargos de confiança de pessoas inelegíveis.  No processo só está sendo questionada a presença de Antonio Peres no governo, mas há pelo menos mais dois membros da família no primeiro escalão: Ana Amélia Alves Quintanilha (chefe de Gabinete) e Antonio Francisco Alves Neto, o ex-vereador Chico Peres (Procurador Geral), são irmãos do ex-prefeito e, consequentemente, cunhados da prefeita.

Mesmo com dois manda-chuvas a Prefeitura de Meriti não consegue por as contas em dia. Os aposentados e pensionistas que o digam, mas algumas empresas tem tratamento privilegiado

Empresas selecionadas recebem dívidas antigas. As outras que se danem...

Além da Meriti Mais Verde, empresa que conseguiu receber R$ 7,8 milhões de créditos antigos e teve mantido o contrato para a coleta de lixo apesar de ter sido muito duramente combatida durante a campanha eleitoral pelo hoje prefeito João Ferreira Neto, o Dr. João, mais duas empresas não encontram motivos para reclamar da atual gestão, embora muitas das que prestaram serviços durante a administração passada e têm faturas a receber estejam levando uma canseira do governo. São elas a Factor Serviços e a Crater Construções, responsáveis, respectivamente, pela locação de máquinas e caminhões e reforma e manutenção de escolas. Juntas elas receberam, mais de R$ 5 milhões em menos de dois meses.

A pedido do MP juiz afasta filha do prefeito de Casimiro de Abreu nomeada para a Secretaria de Governo, mas ainda restaram um genro e tres sobrinhos, dois em cargos com status de secretário e um subsecretário

Acatando pedido do Ministério Público o juiz Rafael Azevedo Ribeiro Alves, da Vara Única de Casimiro de Abreu, determinou ontem o afastamento imediato de Érica Dames do cargo de secretária de Governo, função para a qual ela fora nomeada no dia 2 de janeiro pelo pai, o prefeito Paulo Cezar Dames (foto), com salário de R$ 12 mil. Entretanto, a ação do MP deixou de fora três parentes de do prefeito, os sobrinhos Ibson Dames Júnior, Lucas Dames – empregados como secretário de Saúde e Corregedor Geral, respectivamente – o genro Rodrigo Coelho Ramos, secretário de Fazenda, além de Luciana de Oliveira Dames Freitas, subsecretária de Turismo e Eventos.

.

Ex-prefeito está proibido de agir como se fosse o governante da cidade. De agora em diante ele não pode nem mais entrar nos órgãos públicos do município

Desde o dia 1º de janeiro se comportando como se governante fosse, o ex-prefeito de Araruama, Francisco Carlos Fernandes, o Chiquinho da Educação (foto), está proibido de entrar em qualquer órgão da Prefeitura. Decisão nesse sentido foi tomada nesta quarta-feira pelo juiz Maurílio Teixeira de Mello Junior, da 2ª Vara Cível da Comarca local em ação de improbidade administrativa movida contra Chiquinho e a pedetista Lívia Soares Bello da Silva, que venceu a eleição de 2016 usando o nome Lívia de Chiquinho e o slogan “vota nela que ele volta”, em alusão aos dois mandatos de prefeito exercido por seu marido, que só a lançou candidata porque está enquadrado como “ficha suja”, devido a várias condenações na Justiça e a diversas contas de gestão reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado.