Especialistas vêem base curricular no país como desafio
Depois de 22 anos...
Em Magé quem faz o ''milagre'' é ''santo'' de fora
Itaboraí é o novo eldorado para o grupo da Lytoranea
Prefeitos vão se unir para reabrir hospital de Barra de São João

Contratos somam mais de R$ 60 milhões

Quatro meses após o elizeupires.com revelar na matéria Cabo Frio também tem sua "fábrica de emergências", veiculada no dia 4 de julho, a assinatura de vários contratos sem licitação firmados pela Prefeitura de Cabo Frio através da Companhia de Serviços Públicos de Cabo Frio (Comsercaf), a Polícia Federal – em apoio ao Ministério Público – realizou hoje a Operação Basura (lixo em espanhol), prendendo quatro pessoas, entre elas Claudio Moreira, presidente da autarquia. Ao todo as emergenciais somam mais de R$ 60 milhões e uma delas foi firmada com a Prime Serviços Terceirizados, tendo como objeto o serviço de coleta de lixo. Para fazer esse contrato sem licitação Claudio dispensou a empresa Limpatech Serviços e Construções, que, que ainda tinha um contrato licitado em vigor. Além de Moreira foram presos os empresários Bruno Toledo e Pablo Angel Santos Rodrigues (donos da Prime) e um policial militar reformado que tinha cargo de confiança na Comsercaf e fica a disposição de Cláudio.

Campanha é válida até o dia 30 de dezembro

Os contribuintes que estiverem inadimplentes com o município de Magé poderão regularizar a situação até o próximo dia 30, quitando o IPTU de 2017 com isenção de multa e juros, além negociar débitos vencidos até dezembro de 2016, parcelando a dívida em até 36 vezes. De acordo com a Secretaria Municipal de Fazenda, o desconto no imposto deste ano é para quem não recebeu o carnê.  Neste caso o contribuinte deve fazer uma declaração de próprio punho ou em formulário on-line no site oficial da Prefeitura (www.mage.rj.gov.br), informando o não recebimento. Já a renegociação é para quem tem dívidas anteriores, inscritas ou não na Dívida Ativa, mesmo com ação de cobrança ajuizada.

Políticos receberam com salário até o que não lhes era devido

Os desembargadores da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça confirmou ontem decisão de primeira instância que obriga nove ex-vereadores de Natividade, município do Noroeste Fluminense, a devolverem aos cofres públicos valores pagos a eles em excesso pelo exercício de seus mandatos, o que aconteceu entre 2007 a 2008. Além disso, terão de pagar multas individuais equivalentes a dez vezes o último subsídio recebido, com correção monetária e juros de 1% ao mês, desde a data do recebimento. Entre os condenados está José Márcio Pereira Campbell, que presidia a Câmara Municipal na época e era o ordenador dos pagamentos apontados como indevidos pelo Ministério Público, que ajuizou contra os políticos uma ação de improbidade administrativa.

Visita à região está marcada para quinta-feira

Em Vitória desde a tarde de hoje com a caravana 'Lula pelo Brasil', o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estará na Baixada Fluminense na próxima quinta-feira, passando por Magé, Duque de Caxias e Nova Iguaçu. Antes visitará o município de Maricá, que é governado pelo PT desde janeiro de 2009. Agora à noite Lula discursou para milhares de pessoas na capital do Espírito Santo e falou como se já estivesse em campanha eleitoral. Afirmou que quer disputar a presidência com um candidato apoiado pela Rede Globo de Televisão. "Tudo o que eu quero é que eles encontrem um candidato representante do mercado e com o logotipo da Globo na testa. Se puder ter o logotipo da Globo, da Veja, da Istoé, melhor ainda. A gente vai derrotar", provocou sob aplausos da multidão. A chegada à Baixada Fluminense será por Magé e a concentração está marcada para as 10hs, na entrada da cidade, nas proximidades do Posto Shell.

Fraude no fornecimento de 'quentinhas' e café da manhã foi denunciada pelo MP

Em decisão proferida nesta segunda-feira (4), a juíza Maira Valéria Veiga de Oliveira, da Vara Única de Iguaba Grande, município da Região dos Lagos fluminense, determinou o afastamento da prefeita Ana Graziela Magalhães (foto). A medida cautelar foi tomada em processo movido pelo promotor Eduardo Fiorito Pereira, por improbidade administrativa contra ela e outras nove pessoas, por conta de um esquema de fraude no fornecimento de refeições para funcionários, contratado de duas empresas de um mesmo núcleo familiar, por R$ 1,7 milhão. De acordo com o que foi apurado pelo Ministério Público, as irregularidades teriam começado logo nos processos de licitação e terminaram com o pagamento – por parte da Prefeitura – de refeições que não teriam sido fornecidas de fato. A magistrada determinou ainda a suspensão dos contratos com firmados com fornecedores Comida Caseira de Iguaba e Delícias da Feirinha, que também ficam proibidas de participarem de licitações e de firmarem novos contratos com órgãos públicos.