Guapimirim virou “eldorado” para empresas recém-criadas
Empresa alvo da Lava-Jato faturou milhões em Itaguaí
Prefeito de Magé quer o MP investigando denúncias de Núbia
Guapimirim tem 115 dias de contas no escuro
Câmara de Nova Iguaçu recebeu repasse duplo em janeiro
A Secretaria Municipal de Saúde precisa explicar de onde saíram os medicamentos que abasteceram, por exemplo, o Hospital da Posse e a Maternidade Mariana Bulhões até agora

Licitação só foi homologada ontem. Publicação saiu hoje. O que se pergunta é: Quem forneceu medicamentos entre 1º de janeiro até hoje? Está aí algo que o Ministério Público terá de descobrir, já que a Câmara de Vereadores não se manifesta em nada

Foi homologado ontem e publicado no diário oficial do município nesta quarta-feira o resultado de uma licitação no valor global de mais de R$ 47 milhões, realizada para aquisição de medicamentos para as unidades da rede de Saúde de Nova Iguaçu. Isso já está dando o que falar e deverá, inclusive, resultar em representação junto ao Ministério Público, com pedido para que seja investigado como foi feito o fornecimento nos últimos três meses, já que o governo municipal vinha afirmando que não estava faltando remédios em sua rede. O que se questiona é a origem dos medicamentos usados até agora, já que não havia contrato nem licitação em vigor para calçar o abastecimento. Na verdade, o Pregão Presencial Nº 030 começou a chamar a atenção antes mesmo da abertura dos envelopes com as propostas dos concorrentes, o que aconteceu no dia 16 de fevereiro. É que no dia anterior representantes de empresas do setor foram vistos reunidos no Mont Blanc Apart Hotel, entre eles um empresário muito conhecido no meio e que costuma ser chamado na Baixada Fluminense de “rei dos remédios”.

Descontos vão até 70% e o evento pretende movimentar cerca de R$ 10 milhões

Vai começar no próximo dia 28 e vai até o dia 1º de maio uma megaliquidação em Rio das Ostras, é o Ostras Outlet, que acontecerá no bairro Jardim Mariléa. A expectativa é de movimentar cerca de R$ 10 milhões e gerar mais de 200 empregos. A iniciativa vem em boa hora, principalmente porque será realizada próxima do Dia das Mães, a segunda melhor data comemorativa para os comerciantes.  O evento é realizado pela Promover, em parceria com o empresariado da região e apoio da Prefeitura de Rio das Ostras.   Ao todo serão 70 estandes dos setores de vestuário, calçados, acessórios, beleza, decoração e a oportunidade de incrementar os negócios também vai chegar a restaurantes, que fazem parte da Praça de Alimentação, onde serão realizadas ainda apresentações musicais com artistas locais. O espaço integrado de vendas receberá também uma área destinada exclusivamente às crianças.

A linha que sai de Engenheiro Passos para Resende deixou os moradores esperando por quase duas horas por falta de combustível. Passageiros de outros bairros relatam que os ônibus "sumiram" em alguns horários, depois de uma redução de R$ 0.20 na tarifa

Empresa que detém monopólio do transporte de passageiros maltrata os usuários no dia a dia e o poder concedente – a administração municipal – não faz o dever de casa

Dona das linhas municipais de ônibus há 17 anos, a empresa São Miguel está abusando da paciência da população e a Prefeitura não está nem aí para as reclamações. O poder concedente não fiscaliza a concessão e ao que tudo indica, está longe do fim o martírio dos moradores, que vem pagando caro por um serviço classificado como péssimo e que deveria ser tarifado, na avaliação do próprio prefeito, em no máximo R$ 2,40, mas custa R$ 1,20 a mais, isso porque na semana passada - depois de uma manifestação da comunidade do bairro Fazenda da Barra III - Diogo Balieiro resolveu tirar R$ 0,20 da passagem. Para se ter ideia da capacidade de atendimento da empresa que faz o que bem entende em Resende, até combustível ela tem deixado faltar nos poucos e velhos ônibus colocados à disposição.

Empresa contratada por R$ 1,2 milhão em janeiro ainda não disponibilizou as contas da Prefeitura

Quem tenta acessar o Portal da Transparência da Prefeitura de Mesquita não consegue obter qualquer informação, simplesmente porque a página sequer abre. Isso não deveria estar acontecendo, pois desde o dia 26 de janeiro a administração municipal conta - pelo mesmo no papel - com uma empresa encarregada do “fornecimento de licenças de software destinado à gestão pública e data center para hospedagem de nota fiscal eletrônica e o Portal da Transparência”. Trata-se da Modernização Pública e Informática, sediada em Saquarema, que se está prestando os outros serviços para os quais foi contratada às pressas, por 180 dias, ao preço de R$ 1.264.320,00, com certeza não está cuidando da tal transparência, já que nenhum dado sobre a receita acumulada as despesas feitas pela gestão do prefeito Jorge Miranda (foto) estão disponíveis.

Nomeando em cargos de confiança profissionais para atuarem em funções efetivas

As funções de exercício permanente, as chamadas de provimento efetivo só podem ser ocupadas por servidores aprovados em concurso público ou – em casos específicos de uma situação de emergência – através de processos seletivos simplificados necessários para sustentar as contratações temporárias. Entretanto isso não estaria valendo para o município de Mangaratiba, onde o prefeito Aarão de Moura Brito Neto (foto), é acusado de nomear em cargos comissionados profissionais para na verdade exercerem funções administrativas de caráter permanente. Denúncia nesse sentido já foi encaminhada ao Ministério Público para que seja investigada a possibilidade de os 1322 candidatos aprovados em concurso público ainda em vigor estarem sendo descartados para que os nomeados possam ser encaixados nas vagas.