Microempresa, grande negócio em Magé: firma aberta em junho do ano passado já recebeu R$ 3,2 milhões da Prefeitura
TCE aponta superfaturamento de 700% em Arraial do Cabo
Emergência ilegal e superfaturada em Japeri
Orquestra Sinfônica Brasileira vai se apresentar em Paracambi
Empresa aberta 11 dias após a posse do prefeito ganha novo contrato em Japeri e vai faturar mais de R$ 3 milhões fornecendo merenda

Justiça só vai analisar pedido do Ministério Público após perícia no material apreendido

Vinte e quatro horas após uma operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), na Prefeitura de Silva Jardim para busca e apreensão de documentos com base em inquérito aberto para investigar possível fraude na licitação para publicação dos atos oficiais do município, o vereador Robson Azeredo anunciou que vai pedir o afastamento das funções de todos os envolvidos. Ele explica que há um dispositivo legal que garante o afastamento, exigindo o mínimo de três votos. A operação do Gaeco criou um mal estar na Câmara, inclusive entre os membros do bloco de sustentação do prefeito Anderson Alexandre. É que o prefeito vinha sendo avisado há quase um ano de que os atropelos à legislação atribuídos ao subsecretário de Comunicação, Ricardo Mariath, estavam comprometendo o governo, mas preferiu pagar para ver.

Começa neste sábado e vai até quarta-feira, a mais tradicional festa em louvor a São Jorge do município de Magé. Acontecerá no Rancho do Renatinho, na Rua Dulcinda de Moraes, no bairro Parque dos Artistas, em Piabetá. O santo mais popular do país reúne milhares de devotos na localidade e será homenageado com missas, alvorada e uma concorrida cavalgada. Também haverá batizados e quem estiver interessado em batizar seu filho deve fazer contato pelos telefones (21)985121708 / (21)26780591. Os festejos contarão ainda com barracas de comidas típicas e show de forró todas as noites.

Em decisão tomada pelo desembargador Ferdinaldo Nascimento, da 12ª Câmara Cível, no processo 004818953.2013.8.19.0000,  o Tribunal de Justiça determina que a Prefeitura de Rio das Ostras emposse, provisoriamente, até que o processo que questiona a anulação do concurso público realizado pelo município em 2012 transite em julgado, cinco candidatos aprovados naquele processo seletivo para o cargo de procurador. O despacho do desembargador beneficia apenas Daniel Felipe Penna Cotrim, Marcela Rebelo Pinheiro, Alexandra de Castro Borges Teodoro, Renata Márcia Martins Soares Gomes e Fernanda Macário, mas abre caminho para que todos os aprovados dentro do número de vagas imediatas oferecidas no edital reivindiquem a assunção aos cargos de forma provisória.

Salário parco e péssimas condições de trabalho causam pedidos de demissões

Enquanto centenas de candidatos aprovados no último concurso público realizado pelo município lutam para serem convocados, dezenas de servidores efetivos de Nova Iguaçu estão abandonando o barco, pedindo demissão, segundo alegam, por conta do baixo salário e das péssimas condições de trabalho. São médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, professores e pessoal do setor administrativo congestionando o mesmo corredor: o de saída. Só na edição de ontem do diário oficial foram publicadas 12 portarias de exoneração, todas a pedido. Entre os que se desligaram nos atos veiculados ontem estão sete professores, uma médica, uma enfermeira e uma técnica de enfermagem.

Agentes do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público Estadual (Gaeco), em ação com o promotor Marcelo Arsênio, fizeram nessa terça-feira uma operação de busca e apreensão na Prefeitura de Silva Jardim. O alvo foi a subsecretaria de Comunicação Social, órgão ligado ao gabinete do prefeito Anderson Alexandre (PRB), por conta de supostas fraudes nas publicações dos atos administrativos, feitas, segundo foi apurado, em veículo privado, criado unicamente para esse fim, logo após a eleição do prefeito, tendo começado a circular assim que Anderson tomou posse.