Câmara de Nova Iguaçu está gastando mais com menos
Irmãos Batista deram um “golpe de mestre” no Brasil
General diz não haver 'atalhos' fora da Constituição
Resende enche o tanque com combustível sem licitação
Porto Real paga caro pelo transporte de estudantes

Um dia imaginei ser o mundo um simples fundo de quintal e, mais ainda, todinho meu. Sentia-me um “rei” e “reinava” no pomar da Fazenda União - na zona rural de Mirai, lá nas Minas Gerais -, quando passava alguns dias com meus avós maternos, Maria e Isidro Gomes Monteiro.

Aposentado continua sem saber como instituto de previdência movimentou R$ 900 mil em com seu nome e CPF


Dois anos e três meses após um aposentado ter denunciado que seu nome e CPF foram usados em operações financeiras que movimentaram cerca de R$ 900 mil na conta Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Casimiro de Abreu (IPREV-CA), até hoje a situação não foi esclarecida. A denúncia foi feita ao elizeupires.com no dia 15 de julho de 2007 pelo funcionário aposentado da Prefeitura, Romildo de Oliveira Moreira, que na época tinha rendimento mensal líquido de R$ 799,25, pago IPREV-CA.

Uma semana após o procurador do município, Adonel Magalhães ter anunciado que irá questionar na Justiça os responsáveis pelo prejuízo de cerca de R$ 2,5 milhões causado por uma aplicação financeira aos cofres do Instituto de Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Casimiro de Abreu (IPREV-CA), funcionários revelam que pretendem solicitar uma auditoria nas contas do órgão referentes aos oito últimos anos, por acreditar que os danos financeiros podem ter sido muito maiores e podem afetar o futuro do funcionalismo municipal, que conta com o IPREV-CA para se aposentar.

Não sei quantos habitantes haviam em Mirai durante a minha infância, mas uma coisa era certa, todos - não importa se criança ou velho - tínhamos um “afilhado” em comum: Joventino, um inocente que a todos saudava com um “bença, padim!” Quando eu contava seis ou sete anos de idade, Joventino já passava dos trinta, mas eu também era chamado de “padim” e sustentava longos diálogos com o “afilhado” que pedia bençãos a todos nós.

Só na Baixada Fluminense serão 96 novas “boquinhas”.

“Caros e desnecessários”. É isso que a maioria dos eleitores do estado do Rio de Janeiro pensa sobre 999 vereadores eleitos em 92 municípios. Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Executivo de Comunicação (Iecom), além de considerarem “supérfluas” as câmaras, os eleitores fluminenses não concordam com o aumento de número de cadeiras nas casas legislativas municipais proposto através de Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que pode fazer a alegria de quase oito mil suplentes. No estado do Rio o número de vereadores pode chegar a 1.358, um aumento de 35,9%, segundo levantamento da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), sendo que só a Baixada Fluminense ganharia 96 novos vereadores.