IBGE reforça relação entre saúde e saneamento básico
Firma novata estréia faturando alto em Nova Iguaçu
Novo presidente terá de garantir mais vagas no ensino superior
Câmara não se esforça para abrir a caixa-preta do governo em Paraíba do Sul: fica nos requerimentos solenemente ignorados pelo prefeito
Sem renovação: 75% dos deputados federais devem se reeleger

Ex-prefeito de Meriti e deputada estadual só terão votos computados se vencerem no TSE

 

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro impugnou os registros de candidaturas a deputado federal do ex-prefeito de São João de Meriti, Sandro Matos Pereira (PSD) e de Daniele Cristina Figueiredo Fontoura, a Daniele Guerreiro (PP). O TRE acatou pedido do Ministério Público Eleitoral, que representou pela impugnação dos dois. Sandro Matos teve as contas de gestão referentes aos exercícios de 2015 e 2016 reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado e a Câmara de Vereadores. Quanto a Daniele, ela foi condenada por abuso de poder político e econômico na campanha de 2014, quando foi eleita deputada estadual. Ela é casada com o ex-prefeito de Mesquita, Gelsinho Guerreiro, que queria uma vaga na Assembleia Legislativa, mas também está inelegível. Eles ainda podem recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Presidente interino da Câmara ignora o Ministério Público e assume o comando do município

 

Presidente em exercício da Câmara de Mangaratiba, o vereador Carlos Alberto Ferreira Graçano, o Charlies da Video Locadora, deverá sentar hoje na cadeira de prefeito como o segundo interino em menos de três meses. Isso se a Justiça não o impedi-lo, já que o correto, segundo entendimento do Ministério Público, seria convocar uma nova eleição para compor a mesa diretora, com o novo presidente assumindo o governo interinamente até que o prefeito a ser escolhido no pleito suplementar marcado para 28 de outubro seja empossado. Carlos chegou a ser notificado pelo promotor Alexey Kolouboff de que a Casa deveria escolher um novo presidente. Isso ocorreu na última quarta-feira (5), mas no dia seguinte o presidente em exercício emitiu um decreto legislativo suspendendo a interinidade de Vitor Tenório – que está foragido – e autoproclamou-se prefeito.

Ampliar o acesso e o financiamento ao ensino superior está entre os desafios a serem enfrentados pelo próximo presidente da República

 

Pelo Plano Nacional de Educação (PNE), lei em vigor desde 2014, a taxa bruta de matrículas no ensino superior, ou seja, o número total de estudantes matriculados, independentemente da idade, dividido pela população de 18 a 24 anos, deve chegar a 50% até 2024 - atualmente é 34,6%.  Nas universidades públicas, o problema está na falta de recursos. De acordo com os reitores das instituições federais, o orçamento não acompanhou o aumento no número de matrículas e a expansão dos campi ocorridos nos últimos anos.

Terceirização substituiu guardas treinados e as queimadas aumentam

 

Obras que ninguém pode verificar, aumento da caça ilegal e das queimadas. Esses são os resultados da substituição por parte do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), de guardas-parque concursados e treinados por agentes ambientais terceirizados no Parque da Serra da Concordia, localizado no município de Valença, no Sul Fluminense. Um dos substituídos, Rodrigo da Silva Gomes (foto), por exemplo, cita que durante seus mais de quatro anos de atuação, só a sua equipe, atuou no combate a 64 focos de incêndio e a reserva não teria perdido nem 10 hectares de mata no período...

Em 2014 mais de 90 mil votos locais foram para nomes de fora

 

Representantes que falem em nome do povo e não se comportem como meros despachantes de grupos ou núcleos familiares; que tenham compromisso com a cidade e não apenas com os seus; que enxerguem o município como um todo e não somente o próprio umbigo, que queiram atuar de verdade como parlamentar e não usar a Câmara dos Deputados ou a Assembleia Legislativa como atalho para o Palácio Anchieta (sede da administração municipal). É disso que Magé precisa e ter ou não essa representatividade garantida está nas mãos dos cerca de 180 mil eleitores que, se omitirem-se agora, não poderão se queixar depois. Em 2014, por exemplo, dos 139.897 votantes que compareceram às urnas mais de 90 mil optaram por nomes de fora...