Falta de transparência vira caso de polícia em Mesquita
Macaé esconde contrato emergencial de R$ 34,9 milhões
Resende municipaliza UPA, mas não fiscaliza frequência ao trabalho
Berço da história de Belford Roxo vai ser revitalizado
Arrecadação de Macaé dispara e a falta de material também

Miguel Jeovani tenta no tapetão uma chance de reverter massacre nas urnas

Apontado por lideranças locais como o pior prefeito que Araruama já teve, o empresário Miguel Jeovani (foto), ainda não desistiu do poder e está apostando suas fichas na manutenção – pelo Tribunal Regional Eleitoral – de uma decisão em primeira instância, que cassa os registros e os consequentes diplomas da prefeita Lívia Belo e do vice-prefeito Marcelo Amaral, o que, se acontecer, resultará numa eleição suplementar sem a participação da chapa que massacrou Jeovani nas urnas, junto com o também ex-prefeito André Mônica. Na semana passada, embora o TRE ainda não tenha dado a palavra final, o grupo de Miguel comemorou o parecer dado no processo pelo Ministério Público Eleitoral, que opinou pelo prazo de inelegibilidade de Lívia e Marcelo e pela cassação da chapa.

Programa orienta jovens para inserção no mercado de trabalho

"Queremos proporcionar a nossa população um conhecimento coletivo sobre as dificuldades e conflitos do dia a dia e também proporcionar aos jovens uma melhor preparação para a busca de uma colocação no mercado de trabalho". A afirmação é da secretária de Assistência Social e Cidadania de Belford Roxo, Daniela Carneiro (foto), ao anunciar mais um projeto voltado diretamente aos moradores dos bairros mais carentes do município, dentro de uma parceria firmada como o Instituto da Criança e o Centro de Integração Empresa Escola (CIEE), uma união que já está rendendo frutos, como os projetos Espaço Cidadão - voltado para jovens e adultos em situação de vulnerabilidade social – e Jovem Alerta, através do qual 80 jovens com idade entre 14 e 21 anos vão receber orientações de como se inserir no mercado de trabalho.

Readequado, o HEVMC vai funcionar só com essa especialidade a partir de junho

A Secretaria estadual de Saúde confirmou para este mês a inauguração do Hospital de Traumato-Ortopedia da Baixada Fluminense. A unidade vai funcionar em Nilópolis, no prédio do antigo Hospital Estadual Vereador Melchiades Calazans, que entrou em obras no final do ano passado e já está pronto para iniciar o atendimento. Segundo o secretário Luiz Antonio Teixeira Junior, o HTO da Baixada contará com um centro de ortopedia específico para idosos e vai desafogar a emergência do Hospital Geral de Nova Iguaçu, além de absorver parte da demanda de outras unidades especializadas, como o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into). Luiz Antonio explicou que a mudança de perfil do HEVMC faz parte do projeto de readequação da rede estadual, iniciada com a especialização de algumas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Masan tem contrato para fornecer merenda escolar em vários municípios

Maior fornecedora de alimentos prontos para presídios e escolas do estado do Rio de Janeiro, já tendo recebido mais de R$ 5 bilhões dos cofres públicos fluminenses nos últimos cinco anos, a Masan Serviços Especializados vem faturando alto no município de Duque de Caxias desde 2013, com recebimentos no total de mais de R$ 20 milhões. Só este ano a Prefeitura já pagou a empresa R$ 5.014,647,56, total autorizado no período pelo prefeito Washington Reis (foto) e pelo menos mais R$ 5 milhões deverão ser quitados até o final do ano letivo, já que a empresa é responsável pelo fornecimento de merenda escolar aos alunos da rede municipal de ensino, serviço para qual venceu um processo licitatório.

Então diretor da Dívida ativa que visou o documento foi nomeado logo depois para comandar a Procuradoria do Município. Nada consta foi usado em contrato emergencial de R$ 1,4 milhão

A certidão negativa de débitos fiscais usada pela empresa Comercial Castanho para ser contratada emergencialmente, por mais de por mais de R$ 1,4 milhão para fornecer gêneros alimentícios à Secretaria de Educação, tem a assinatura do próprio procurador-geral de Araruama, José Fernando de Carvalho, que até o dia 2 de janeiro – quando o documento foi emitido – respondia pelo setor de Dívida Ativa. Apesar da assinatura e da suspeita de favorecimento a empresa, até o final do expediente da última sexta-feira José Fernando permanecia no cargo.