TCE aponta superfaturamento de 700% em Arraial do Cabo
Emergência ilegal e superfaturada em Japeri
Orquestra Sinfônica Brasileira vai se apresentar em Paracambi
Empresa aberta 11 dias após a posse do prefeito ganha novo contrato em Japeri e vai faturar mais de R$ 3 milhões fornecendo merenda
Prefeitura de Magé esconde contrato de aluguel de computadores

Auditoria diz que direção da previdência dos servidores de Casimiro de Abreu fez investimentos irregulares no mercado financeiro

A direção do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Casimiro de Abreu (Iprev-CA), fez investimentos irregulares em papeis do mercado financeiro, comprometendo pelo menos R$ 5,3 milhões, recursos da instituição responsável pelos proventos dos aposentados e pensionistas da Prefeitura e da Câmara Municipal. Foi o que constatou uma auditoria realizada por técnicos do Ministério da Previdência Social nas contas do órgão referentes ao período de 1º de janeiro de 2001 a 31 de dezembro de 2008, durante a gestão do ex-prefeito Paulo Dames. Na época o  órgão tinha como gestores Rita de Cássia Pereira Quintal, Wagner Cardoso Heringer e Paulo Cesar Lopes Pereira, respectivamente nas funções de presidente, diretor financeiro e diretor administrativo

Procuradoria é acionada para investigar gastos de Paulo Dames com verbas federais 

O Ministério Público Federal vai instaurar inquérito para apurar irregularidades na aplicação de recursos repassados pelo governo federal para serem aplicados nos setores de Saúde, Educação e em obras de infraestrutura durante os anos de 2007 e 2008, os dois últimos da gestão do ex-prefeito Paulo Dames, que governou o município de Casimiro de Abreu entre 1º de janeiro de 2000 a 31 de dezembro de 2008.

As irregularidades foram apontadas na auditoria realizada pela Controladoria Geral da União (CGU), que já encaminhou o relatório final ao MPF, para que a investigação seja ampliada. Esse não é o único relatório de fiscalização a comprometer Paulo Dames: um documento do Tribunal de Contas do Estado apontou que somente em um dia a Prefeitura gastou cerca de cinco mil litros de combustível, farra que aconteceu em 2008, quando Dames pagou R$ 6,5 milhões a postos de revenda que forneciam gasolina e óleo diesel a administração municipal. Esse consumo é quase doze vezes maior que o verificado em 2009, primeiro ano da gestão do prefeito Antonio Marcos, quando a Prefeitura gastou, em 12 meses, R$ 430 mil em combustíveis.

Auditoria da Controladoria Geral da União comprova que gestão de Lindberg Farias fraudou censo escolar para receber mais dinheiro do Fundeb

Marcado por denúncias de irregularidades desde o início da gestão do prefeito Lindberg Farias (PT), em 2005, o setor de ensino do município de Nova Iguaçu é manchado mais uma vez com a confirmação, por parte da Controladoria Geral da União (CGU), de que a Secretaria Municipal de Educação fraudou, em 2009, o censo escolar do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), para receber mais recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Paulo Dames gastou em 2008 R$ 6,5 milhões com combustíveis. Cinco mil litros em um único dia. Comandada pelo genro. Câmara não fez nada 

Somente em um dia a Prefeitura de Casimiro de Abreu gastou cerca de cinco mil litros de combustível. A farra aconteceu durante a gestão do ex-prefeito Paulo Dames, que em 2008 – último ano de seu segundo mandato – pagou R$ 6,5 milhões a postos de revenda que forneciam gasolina e óleo diesel a administração municipal, quase doze vezes mais que o consumo de combustível verificado no ano seguinte. 

Todos os contratos firmados pela Prefeitura de Magé entre 1º de janeiro de 2005 e 31 de dezembro de 2010 com as empresas JM Terra e FFM Terra Locadora de Veículos e Equipamentos serão investigados pelo Ministério Público Estadual.