''Máfia'' do reboque perde a vez em Meriti
Grupo Locanty se perpetua também em Valença
Alívio no trânsito em Nova Iguaçu
A esperança venceu o medo em Mangaratiba
Meriti oferece dia de carinho para mulheres que enfrentam o câncer

Denúncia revela que kombis circulam sem tacógrafo

Quanto a Prefeitura está gastando com o transporte escolar, onde e quando os motoristas foram preparados para transportar os estudantes da rede municipal de ensino e quem são os verdadeiros donos dos veículos que prestam esse serviço na cidade. Esses são alguns dos esclarecimentos que a Prefeitura de Silva Jardim terá de prestar à Câmara de Vereadores onde, na próxima segunda-feira, será apresentado requerimento para a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para apurar denúncias de irregularidades sobre esse serviço, que é feito por kombis particulares locadas através de uma empresa contratada pela Prefeitura.

Os partidos políticos com base e representatividade em Magé estão se movimentando para as eleições de 2014 de olho na sucessão do prefeito Nestor Vidal. A cidade deverá ter no próximo ano pelo menos uns dez candidatos a deputado federal e estadual, com as atenções voltadas principalmente para quem o prefeito indicar. Em conversa com o elizeupires.com Nestor afirmou que poderá lançar dois candidatos a deputado estadual e acredita na possibilidade de eleger os dois. “Temos de pensar em Magé como um todo e não nos interesses de grupos”, defendeu.

Contrato do motorista do ônibus acidentado venceu dia 3

O seguro obrigatório do ônibus escolar que capotou em Silva Jardim, matando dois estudantes e ferindo outros 20, na manhã da última quarta-feira, foi pago cerca de três horas após o acidente. O pagamento foi feito às 10h46min do dia 12, na agencia local do Banco do Brasil. A informação foi passada ontem à noite ao elizeupires.com por uma fonte ligada ao governo. Além da documentação atrasada desde 2010, o veículo, com capacidade para transportar 31 passageiros, informa a fonte, era conduzido por um motorista não habilitado para aquele tipo de transporte e que nem contrato tinha com a Prefeitura. De acordo com a mesma fonte, Carlos André Alves Nogueira Guimarães foi contratado no dia 4 de março por três meses, tendo o seu vínculo temporário terminado no último dia 3, nove dias antes da tragédia. Ainda segundo a fonte, ontem foi dada ordem na Prefeitura para que fosse providenciada a renovação do contrato de Carlos André com data anterior a do acidente, para que a situação da administração municipal não se complique ainda mais na Justiça.

Dívidas trabalhistas impedem contratação

Atuando com o fornecimento de mão de obra e gestão de hospitais e postos médicos em vários municípios, a Organização Social Global Soluções em Saúde deverá atuar em Guapimirim com o outro nome. A instituição - que chegou em Magé em 2011, teve o contrato rescindido pela Prefeitura por não atender, à contento, as necessidades da população -, estaria com dívidas trabalhistas e em situação de inadimplência em relação a encargos sociais.

Programa Saúde da Família terá novo padrão de atendimento

A Secretaria de Saúde de Magé colocou em funcionamento um projeto piloto para as unidades do Programa Saúde da Família (PSF), muito questionadas na cidade por conta do uso político dos postos e do controle deles por cabos eleitorais de vereadores. Apontada como base para o novo padrão a ser adotado pelo município, a unidade do bairro Figueira, será a Central de Marcação de Exames da região. Isso será feito através de um sistema online com a Secretaria de Saúde.

A equipe dessa unidade é formada de oito agentes de saúde, um médico generalista, um enfermeiro, e um técnico de enfermagem. Os funcionários, explica o prefeito Nestor Vidal, foram treinados para melhor atender a população. As equipes usarão bicicletas para fazerem o atendimento em domicílios. “Estamos pondo essas unidades no padrão em que devem funcionar. Há muito que esse programa estava fora de sua finalidade em Magé. As coisas começam agora a funcionar como devem”, disse o prefeito.