Hospital de Guapimirim agora funciona com duas emergências
Magé tem representante no prêmio Professores do Brasil
Saúde de Nova Iguaçu não divulga contrato de terceirizada
Barra Mansa não pode mais obrigar alunos a rezar o Pai Nosso
Contas públicas de Magé não batem
Renato Baptista assinou as notas de empenho que garantiram o pagamento de pelo menos R$ 4,9 milhões

Promotoria ajuizou ação contra ex-secretários, ex-assessores e um empresário

Uma compra de R$ 8,7 milhões em material hospitalar feita no apagar das luzes da gestão da prefeita Sheila Gama, em 2012, resultou em uma ação de improbidade administrativa contra um empresário e quatro integrantes do governo dela, processo ajuizado cinco anos depois pelo Ministério Público. Além do fato de o material adquirido ter desaparecido do almoxarifado logo depois de dado como entregue, o MP apontou falta de levantamento de preços, uma vez que a Prefeitura de Nova Iguaçu não fez licitação e aderiu a ata de um pregão do governo de Roraima, vencido pela Insumed Comércio de Medicamentos e Equipamentos Hospitalares. O critério da economicidade definido por lei tinha de ser observado pela Secretaria de Saúde, pois os preços para Nova Iguaçu deveriam ser bem menores, uma vez que o fornecedor está localizado em Belford Roxo, a 10,2 quilômetros, distância infinitamente menor que os 4.990 quilômetros que separam a cidade onde a empresa está sediada de Boa Vista, capital de Roraima.

Decisão por unanimidade deixa o prefeito de Nova Iguaçu em maus lençóis

Por unanimidade, em decisão tomada agora a pouco, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro reprovou as contas de campanha do prefeito de Nova Iguaçu, Rogério Lisboa (foto), por irregularidades. Um dos pontos que teriam pesado na decisão foi a falta de informações sobre pagamento do aluguel da sala onde funcionou uma base de distribuição de informações pela internet, batizada de "Central de Boatos", que foi estourada numa operação realizada no dia 20 de outubro por agentes a serviço do TRE. No local foram apreendidos computadores e três homens foram encaminhados à 158ª Zona Eleitoral, sob acusação de fazerem propaganda negativa e divulgar difamações contra candidatos.  Eles estavam em um escritório em Nova Iguaçu, no qual foi encontrado material de campanha do então candidato a prefeito pelo PR.  Foi apurado que a central espalhava charges e textos com conteúdos difamatórios por meio de perfis falsos em redes sociais e os três homens seriam os responsáveis pelo perfil oficial da campanha de Rogério Lisboa e também por pesquisas de intenção de voto sem registro.

Hospital municipal retomou os procedimentos nesta segunda

Parado há um ano e meio, o serviço de mamografia do Hospital Municipal de Rio das Ostras voltou a funcionar nesta segunda-feira, o que permite que as mulheres possam fazer o exame de mamografia sem ter de se deslocarem para São Pedro da Aldeia, como estava ocorrendo. Segundo a secretária de Saúde, Rosimeri Azevedo, as marcações devem ser feitas diretamente na Coordenadoria de Gestão, Avaliação e Auditoria. "A princípio iremos realizar 20 exames por dia. Até normalizamos a situação, tendo em vista que existe uma demanda muito grande pelo tempo que o mamógrafo estava parado. Continuaremos também fazendo exames em São Pedro, por conta da pactuação que temos com os entes federados", afirmou a secretária.

O prefeito Rogério Lisboa já homologou 13 contratos emergenciais no total de cerca de R$ 100 milhões

TCE apontou irregularidades em edital para serviço de portaria na Ação Social

A Nova Iguaçu Indústria de Emergências S/A, que já produziu contratos emergenciais que somam cerca de R$ 100 milhões, pode estar fabricando mais um, desta vez para a Secretaria Municipal de Assistência Social e, segundo uma fonte ligada ao governo, a Prime Administração e Serviços – que já presta serviços nas redes de Saúde e Educação sem ter vencido uma licitação sequer – poderá levar mais essa, aumentando seu faturamento no município governado pelo prefeito Rogério Lisboa. É que o Pregão Presencial 006/2017, do Fundo Municipal de Assistência Social, marcado para o dia 16 de agosto foi suspenso depois de o Tribunal de Contas do Estado apontar irregularidades no edital, o que levou o prefeito a anular o certame, aberto para terceirizar o recrutamento de funcionários para as portarias das unidades geridas pelo SMAS. Este foi o sexto edital com irregularidades apontadas pelo TCE, erros repetidos que provocam o adiamento da licitação e dá ao governo o motivo que ele precisa para renovar os contratos emergenciais já firmados e homologar outros, como o que já estaria sendo providenciado desde a semana passada, com o valor de cerca de R$ 850 mil e validade de seis meses.

Câmara deve por em votação na terça-feira os números da gestão de Sandro Matos

Nunca uma sessão para apreciação de pareceres do Tribunal de Contas do Estado sobre contas de gestão pública foi tão esperada em São João de Meriti, como a que deverá acontecer na próxima terça-feira (3), quando os vereadores deverão se reunir para votarem as contas do ex-prefeito Sandro Matos (foto) relativas ao exercício de 2015, que receberam parecer prévio contrário do TCE, que apontou uma série de irregularidades. O espaço da Casa destinado ao público devera ser tomado por centenas de pessoas, principalmente servidores públicos, que defendem a reprovação das contas. Entre os membros da Câmara a expectativa é de que haja muita pressão por parte de manifestantes contrários e favoráveis a Sandro, pois o resultado da votação pode selar o destino político do ex-prefeito.