Apenas 3,3% dos estudantes brasileiros querem ser professores
Parceria reforça ação ambiental na Serra Mantiqueira
Bancada feminina cresce, mas recebe parentes de políticos tradicionais
Meriti terá centro de imagens pioneiro na Baixada Fluminense
Legado de Marielle: assessoras são eleitas para Assembleia do Rio

A Secretaria Municipal de Educação divulgou uma agenda para que os profissionais convocados na segunda chamada do concurso público realizado no ano passado - Professor I, Professor II, Estimuladora e Especialista e Estimulador Materno Infantil -, que tomarão posse na próxima terça-feira façam a escolha dos locais onde irão trabalhar. Os novos servidores estão agendados pela ordem de classificação. Para conferir basta clicar sobre a palavra em vermelho. OBS. O fato de a posse estar marcada para o dia 15 não interfere na escolha dos locais de trabalho agendada para data posterior.

Prefeito de Cabo Frio acaba com o café dos trabalhadores

Inaugurado em novembro de 2005 pelo prefeito Marquinho Mendes, o Café do Trabalhador, projeto social da Prefeitura de Cabo Frio, que distribuía cerca de 30 mil kits de café da manhã para os trabalhadores da cidade todo mês, está fechado. A interrupção foi feita pelo prefeito Alair Corrêa nem nenhum aviso prévio.

O prefeito de Búzios, André Granado, resolveu inovar na escolha dos diretores para as escolas da rede municipal de ensino: lançou edital abrindo processo seletivo interno para preencher as vagas. Serão realizadas três etapas para a seleção, as quais constam de análise de currículo; avaliação de perfil e programa de formação continuada. As inscrições poderão ser feitas entre os dias 4 e 15 de fevereiro. O resultado final será divulgado no dia 4 de março. As diretoras selecionadas cumprirão jornada 40 horas de trabalho semanais. Os interessados em participar do concurso precisam ter curso superior completo, ser servidor ativo da carreira do magistério da Secretaria Municipal de Educação há, no mínimo, três anos e ter, no mínimo, três anos de efetivo exercício, em períodos contínuos ou alternados em regência de turma em unidade da rede pública municipal de educação.

Quem acompanha a política em Cabo Frio deve ter percebido o total desequilíbrio do hoje prefeito Alair Correa, que teve inicio, mais precisamente, depois das eleições de 2008, quando ele levou uma coça danada de Marquinhos Mendes. Rechaçado nas urnas, Alair passou a dizer nas ruas, nos jornais e nas rádios que Marquinhos não seria diplomado e que quem seria proclamado eleito era ele. Veio a diplomação do vencedor e Alair continuou com suas sandices: “Foi diplomado, mas não toma posse. Estão todos convidados para minha festa no dia 1º de janeiro”. A festa foi de Mendes e este, reeleito, governou até o dia 31 de dezembro do ano passado ouvindo, até ao final, as mesmas loucuras de Alair e de seus iguais: “Vai cair e nós vamos assumir”. Sem um adversário a altura - quem perde para o fraco Janio Mendes não consegue ganhar de ninguém - Alair foi eleito no dia 7 de outubro, tomou posse e levou toda a sua ira e desequilíbrio para o governo, de onde continua dizendo sandices e olhando através de um retrovisor embaçado.

Mais que uma medida para solucionar com maior rapidez as situações caóticas que prejudicam a população, os atos oficiais que decretam situações de emergência e de calamidade pública podem representar grande perigo para as finanças públicas. Embora legais, esses instrumentos facilitam bastante a prática de fraudes, o desvio de dinheiro público, como verificou-se nas cidades de Nova Friburgo e Teresópolis, que tiveram prefeitos cassados e processados por corrupção. As emergências e calamidades públicas acontecem com frequência nos meses de janeiro. Parece que os governantes agem propositadamente ao não fazerem a prevenção. Sabem que todo ano as tragédias acontecem nessa época, mas não tomam providências. Então vem as chuvas a inundar cidades inteiras e tome decretos. Essas situações dão ao governante cobertura legal para fazerem volumosos gastos sem licitação e é aí que mora o perigo...