IBGE reforça relação entre saúde e saneamento básico
Firma novata estréia faturando alto em Nova Iguaçu
Novo presidente terá de garantir mais vagas no ensino superior
Câmara não se esforça para abrir a caixa-preta do governo em Paraíba do Sul: fica nos requerimentos solenemente ignorados pelo prefeito
Sem renovação: 75% dos deputados federais devem se reeleger

Prefeito renunciou para concorrer a deputado, vice assumiu e acelerou ritmo de nomeações

O uso da máquina administrativa como favorecimento eleitoral é histórico em Silva Jardim, uma pequena cidade do interior do estado do Rio de Janeiro. Já rendeu inquéritos e ações judiciais e pode não ser diferente este ano. Pelo que deverá ser encaminhado ao Ministério Público nos próximos dias, a prefeita Maria Dalva Silva do Nascimento (foto) fez 288 nomeações de pessoal no mês passado, aumentando os gastos com funcionários em cerca R$ 350 mil de julho para agosto, o que aconteceu em tempo de crise financeira, com fornecedores e prestadores de serviços reclamando de atraso no pagamento das faturas, situação que estaria afetando, inclusive, o abastecimento das unidades de saúde.

A Limpatech tem investido em mão de obra local e em equipamentos modernos, operando 24 horas por dia durante os sete dias da semana. Pesquisa feita pela Prefeitura mostra que a população está satisfeita com o serviço

Empresa responsável pelo serviço fortalece parceria com funcionários

 

"Funcionário satisfeito produz mais e melhor". O que muitas empresas usam como teoria tornou-se prática na Limpatech Serviços e Construções, responsável pela limpeza pública em Macaé há vários anos. Ontem (19), por exemplo, os funcionários receberam homenagem pelo serviço que vem prestando à população. A empresa reuniu todos os agentes de limpeza e sorteou 10 bicicletas como forma de agradecer pelos resultados satisfatórios que foram apontados em pesquisa recente realizada pela Prefeitura. A sondagem mostrou que a maioria dos moradores está satisfeita com a limpeza da cidade.

Há pouco mais de um ano em funcionamento, a Juliana Terto do Nascimento Refeições parece ser mesmo uma empresa de sucesso e administrada por gente muito competente. É o que sugere o fato de a firma – que foi aberta no dia 17 de abril de 2017 –  ter ampliado em tão curto espaço de tempo o capital social de R$ 20 mil para R$ 1 milhão e de quebra conseguido um contrato de R$ 23 milhões com a Prefeitura de Nova Iguaçu para o fornecimento de merenda escolar. A empresa, de acordo com o que consta no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica, estaria sediada na Rua Jorge Nanhay (foto), na comunidade São Mateus, em São João de Meriti, no mesmo lote que figura como endereço de mais duas firmas, uma também do ramo de alimentação e outra voltada para o comercio de equipamentos para segurança no trabalho. Entretanto, ao longo da via, não há nenhuma placa ou banner indicando a localização dela.

Rejeição de 43% e derrota para Ciro Gomes por 45% a 39% em eventual segundo turno

 

Em pesquisa na qual ouviu 8.601 eleitores de 323 municípios entre terça e na quarta (19), o Datafolha constatou que o candidato do PDT, Ciro Gomes, bateria Jair Bolsonaro (PSL), num eventual segundo turno disputado entre os dois. Ciro, diz a pesquisa, teria 45% dos votos e Bolsonaro 39%. Em outros cenários há empate entre Bolsonaro, Fernando Haddad (PT), Marina Silva (Rede) e Geraldo Alkimin (PSDB). O quadro da eleição para presidente da República hoje, segundo o Datafolha, é o seguinte: Bolsonaro tem 28%, Hadadd 16%, Ciro Gomes 13%, Alkimin 9% e Marina 7%.

Pesquisa diz que um em cada três municípios relata ocorrência de epidemias ou endemias

 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou ontem (19) os dados coletados pela Pesquisa de Informações Básicas Municipais (Munic), que nesta edição abordou os principais aspectos da gestão do saneamento básico nas 5.570 cidades do País. Segundo o levantamento, apenas 41,5% dos municípios brasileiros dispunham de um Plano Nacional de Saneamento Básico em 2017, e 38,2% tinham uma Política Municipal de Saneamento Básico. O resultado da falta de planejamento se reflete na saúde: um em cada três municípios relata a ocorrência de epidemias ou endemias provocadas pela falta de saneamento básico.