Prefeitura de Japeri esconde contratos com valores que somam mais de R$ 40 milhões, fora os termos aditivos. Por que, hein?
'Emergência' do lixo pode derrubar o prefeito de Itaperuna
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação das escolas pelo Ministério da Educação
Nova Iguaçu na ''mira'' de seis
Que peixinho caro, prefeito!

"Combate à praga da corrupção não pode ser feito sem garantias constitucionais", afirma ele

 

O que se tem são "suposições de fatos antigos, apoiadas em afirmações do órgão acusatório".  A afirmação está na decisão do desembargador Antonio Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, proferida na tarde desta segunda-feira (25) para a soltura do ex-presidente Michel Temer, do ex-ministro Moreira Franco e mais cinco pessoas. Os sete estavam presos há quatro dias por ordem do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio, responsável pela Operação Lava Jato no estado. Em seu despacho o desembargador diz apoiar a força tarefa, mas deixou claro que o "combate à praga da corrupção não pode ser feito sem garantias constitucionais". Para ele, o que se tem até o momento em relação aos presos na última quinta-feira são "suposições de fatos antigos, apoiadas em afirmações do órgão acusatório".

Vendido a quilo, o pão francês de 50 gramas será fornecido ao Hospital Nossa Senhora de Nazaré por unidade e vai sair a "preço de ouro", como está sendo comentado nas ruas da cidade. Pelo menos é o que revela a Ata de Registro de Preço nº 40, referente ao resultado do Pregão 007/2019, homologada pelo secretário municipal de Saúde, João Alberto Teixeira Oliveira. De acordo com o documento – publicado na edição do dia 20 no diário oficial do município de Saquarema –, o produto, cujo preço a quilo varia entre R$ 13,60 e R$ 15, vai custar aos cofres públicos R$ 8,74 a unidade, mesmo a compra sendo feita por atacado...

"Um jovem com um futuro promissor, de alma alegre e um coração que pulsava no ritmo do bem". É assim que o ex-prefeito de Japeri, Ivaldo Barbosa dos Santos, o Timor, descreve o "menino" Wendel Andrei de Lima Coelho, assassinado na manhã deste domingo na Praça Olavo Bilac, na localidade de Engenheiro Pedreira. Wendel entrou para a vida pública a convite do então prefeito, que o nomeou como secretário de Obras. A Polícia Civil ainda não divulgou nenhum detalhe sobre o crime, mas o que se comenta entre os conheciam e conviviam com o vereador, é que o tiro que lhe alvejou o peito não era para ele...

O político foi baleado dentro do carro

A Polícia Civil está apurando  as circunstancias do assassinato do vereador Wendel Coelho (PTdoB) ocorrido na manhã desse domingo. Ele foi morto na altura da Praça Olavo Bilac, em Engenheiro Pedreira, no município de Japeri. Wendel que cumpria o primeiro mandato, estava em seu carro, um modelo Cobalt. Agente administrativo, Wendel tinha 26 anos e cumpria o primeiro mandato. Ele foi eleito com 729 votos. O crime foi registrado na 63ª Delegacia Policial, mas vai ser investigado pela Divisão de Homicídio da Baixada Fluminense (DHBF).

... e quatro nomes são citados nos ambientes políticos da cidade

 

Passados dois anos, dois meses e 24 dias desde a posse do governo eleito em outubro de 2016, Japeri, município mais pobre da Baixada Fluminense, encontra-se parado no tempo. O prefeito escolhido com apenas 611 votos de diferença para o segundo colocado está preso. A gestão ou o que deveria ser uma gestão, vem sendo feita pelo vice que há quase oito meses no cargo ainda não disse a que veio. Porém, atraso e má administração a parte, internamente o tabuleiro do jogo político já está sendo movimentado. O que se comenta nos corredores do poder é que há pelo menos quatro interessados piscando os olhinhos para a Prefeitura: o ex-prefeito Ivaldo Barbosa dos Santos, o Timor, o vereador Helder Pedro, o ex-vereador Jonas Cruz e a vereadora licenciada e secretária de Educação Roberta Bailune. Quanto ao prefeito em exercício nada se comenta além de que o seu desempenho no governo desabonaria qualquer tentativa eleitoral.