Falta de transparência vira caso de polícia em Mesquita
Macaé esconde contrato emergencial de R$ 34,9 milhões
Resende municipaliza UPA, mas não fiscaliza frequência ao trabalho
Berço da história de Belford Roxo vai ser revitalizado
Arrecadação de Macaé dispara e a falta de material também

Pelo menos é o que sugerem as diárias com valor fixo pagas todos os meses

Além dos vereadores, que juntos já fizeram dezenas de viagens este ano, os motoristas da Câmara Municipal de Resende, cidade do Sul Fluminense, também estariam “vivendo” na estrada, tal é o volume de pagamento de diárias registrado em nome de quatro servidores, com valor fixo de R$ 1.750,00 ao mês. No período de 7 de fevereiro a 8 de junho o presidente da Casa, Roque Cerqueira da Silva (foto), autorizou o total de R$ 29.750,00, despesa informada no Portal da Transparência do Legislativo apenas como “pagamento de diárias de motorista”, sem revelar os destinos e os motivos das tais viagens ou disponibilizar qualquer justificativa para o gasto.

Apontado como “dono” da Secretaria de Transito, parlamentar agora terá o controle também do centro de operações e monitoramento da cidade

Fechado por pura “birra” pelo prefeito Rogério Lisboa, o Centro de Operações de Nova Iguaçu (Conig) vai ser reativado no segundo semestre e para isso será aberto um processo licitatório para escolher a instituição que contratará a mão de obra necessária, o que já está sendo visto como mais um cabide de emprego para ser usado pelo deputado estadual Luiz Martins (foto), apontado na cidade como “dono” da Secretária de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana, entregue a ele como “espaço político” por Lisboa. Na verdade, o centro vai funcionar para fomentar ainda mais a indústria da multa na cidade, mas na secretaria – que deixa as empresas de ônibus fazerem o que bem entendem nas ruas da cidade – a justificativa é a de contratar o pessoal necessário para fazer o monitoramento que vai dar maior fluidez ao trânsito e ajudar na segurança da cidade, mas, para muitos, a razão está implícita: ajudar na campanha pela reeleição do parlamentar em 2018.

O vereador Tiago Vieira Martins da Silva, o Tisga, é um dos que mais viajaram à Brasília este ano e ainda deu um pulinho em São Paulo com uma diária de R$ 500 (Foto: A Voz da Cidade)

Vereadores viajam ao Distrito Federal até para visitar deputados vizinhos

O deputado Waderley Alves de Oliveira, o Deley (PTB-RJ), mora em Volta Redonda, onde pode ser encontrado facilmente nos feriados e fins de semana, mas para visitá-lo dois vereadores de Resende – cidade localizada a 50,5 quilômetros de distância da base do parlamentar e a 1.092 quilômetros de Brasília – embarcaram hoje (21) para a capital federal. Segundo registro no Portal da Transparência da Câmara, Alessandro Ritton e Luís Henrique Sene (foto) saíram nesta quarta-feira e retornam amanhã, tendo recebido cada um R$ 1.250,00 de adiantamento para as despesas, quando não gastariam, juntos, nem R$ 100 para irem a Volta Redonda e retornar, com chances, inclusive, de filarem o almoço na casa do deputado. Essa é a segunda viagem de Alessandro à Brasília este ano e a quarta de Luis, mesmo número de visitas ao DF feitas neste primeiro semestre pelos também vereadores Tiago Vieira Martins, o Tisga e Caio Marcelo Bauer.

E tem o serviço de limpeza pública mais caro do estado

Desde agosto do ano passado retardando o cumprimento das exigências feitas pelo Tribunal de Contas do Estado no edital da nova licitação para a coleta de lixo, a Prefeitura de Macaé está tocando o serviço à base da já manjada emergência e manteve escondido até o último fim de semana um contrato de emergência com a empresa Limpatech, no valor de R$ 34,9 milhões por seis meses de prestação do serviço, assinado no dia 3 de março. O extrato só foi publicado no último dia 17, em pleno feriado prolongado. A licitação era para ter ocorrido em fevereiro, mas foi suspensa pelo TCE, que há nove meses recomendou que fossem feitas correções na planilha de custos. O não cumprimento das exigências acabou gerando uma “emergência” que vai custar R$ 5,8 milhões por mês, um valor exorbitante, considerando que Macaé tem cerca de 250 mil habitantes e está pagando mais caro que Nova Iguaçu, por exemplo, município com mais de 800 mil moradores e que gasta cerca de R$ 3,8 milhões mensais com o mesmo serviço.

Evento reúne talentos locais em várias modalidades artísticas

Começa sexta-feira (23) a 32ª edição da Feira Cultural de Paracambi, um evento tradicional idealizado em 1985, com a finalidade de valorizar os artistas locais. Para este ano estão programados shows, teatro, balé, feira de artes e gastronomia, o que vai acontecer até domingo no Espaço Lanari, na RJ 127. A feira envolve as secretarias de Cultura e Educação, as companhias municipais de  Ballet e Teatro, a Escola de Música Nogueira do Trombone (núcleo avançado da Escola Villa Lobos)  e as associações de artesanato do município. O palco principal que será aberto na sexta-feira por artistas da cidade e o evento será encerado com a apresentação do cantor Buchecha.