Microempresa, grande negócio em Magé: firma aberta em junho do ano passado já recebeu R$ 3,2 milhões da Prefeitura
TCE aponta superfaturamento de 700% em Arraial do Cabo
Emergência ilegal e superfaturada em Japeri
Orquestra Sinfônica Brasileira vai se apresentar em Paracambi
Empresa aberta 11 dias após a posse do prefeito ganha novo contrato em Japeri e vai faturar mais de R$ 3 milhões fornecendo merenda

O vereador Alex Gonçalves, o Pastor Alex (foto), recebeu nesta quinta-feira (24) um ofício do Ministério Público e terá de responder por que a Comissão de Educação da Câmara, por ele presidida, não tomou nenhuma providência em relação às denúncias de irregularidades sobre a frota alugada pela Prefeitura por mais de R$ 2,7 milhões para fazer o transporte de alunos da rede municipal de ensino de Japeri. Alex falou no plenário na manhã de hoje que o caso deve ser apurado, "se é que as denúncias divulgadas são verdadeiras", mas não anunciou quando pretende fazer isso. O vereador, que se intitula missionário, passa muito tempo viajando e, talvez por isso, desconheça a realidade de riscos enfrentada pelas crianças todos os dias à caminho da escola.

Pelo que está em seu cadastro  a empresa funcionaria no número 28 da  Rua Antonio Gomes de Macedo porem...

Empresa de prestação de serviços já faturou R$ 4,7 milhões 

Sucessora da firma KM de Resende nos serviços de varrição e capina das ruas de Itatiaia, a Real Itatiaia Construtora, segundo consta no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica, está sediada no número 28 da Rua Antonio Gomes de Macedo, no centro da cidade, mas quem passa por lá depara com uma mercearia e um portão de madeira semelhante ao de uma garagem, sem nenhuma placa indicando que ali funciona um empresa de porte. Esse detalhe, entretanto, não impede a firma de faturar alto junto à Prefeitura nem desperta nos membros da Câmara de Vereadores a curiosidade sobre a localização da prestadora de serviço e os veículos usados. Aliás, omissão é a palavra que nomina a postura do Poder Legislativo diante das denúncias de tráfico de influência, falsidade ideológica e fraude em licitações em relação a um contrato firmado com a KM para os mesmos serviços, feitas em outubro de 2014 e que resultaram em nada.

Novos membros foram empossados ontem

Parado desde 2015, as ações do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher em São João de Meriti serão retomadas com a posse dos novos conselheiros da sociedade civil e do governo. A solenidade aconteceu ontem (23) na sede do Centro Especializado de Atendimento à Mulher. "Agradeço o empenho da sociedade civil. Sem ela, não seria possível a reativação do conselho. Temos que fazer São João de Meriti voltar a ser referência e ir além, fortalecendo e implementando políticas para a mulher", disse o subsecretário de Direitos Humanos e Igualdade Racial, Marcelo Rosa.

Josias Quintal havia sido cassado por propaganda ilegal

Em decisão proferida há pouco o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro derrubou sentença da  juíza eleitoral de Santo Antônio de Pádua, Cristina Sodré. Em março do ano passado ela havia cassado os mandatos do prefeito Josias Quintal e do vice Carlos Roberto Alves. Quintal foi denunciado por ter usado dinheiro público para editar uma revista que foi distribuída à população e para espalhar outdoors, divulgando os feitos de seu primeiro mandato, enaltecendo sua administração para fins eleitorais, segundo entendeu o Ministério Público, que ingressou com a ação. A decisão de primeira instância foi derrubada por seis votos a zero. 

O responsável pela microempresa Aline da Silva S. Martins pode ser considerado um empreendedor de sorte. Ele registrou sua firma no dia 12 de junho do ano passado e exatamente um mês depois ela foi declarada vencedora de um processo licitatório para fornecer mais de R$ 5 milhões em produtos de limpeza para a Prefeitura de Magé durante um ano, apesar de a empresa ter apenas R$ 150 mil de capital social. Entre agosto de 2017 e março deste ano a firma recebeu mais de R$ 3,2 milhões dos cofres  da municipalidade em 17 transferências.