Prefeitura de Japeri esconde contratos com valores que somam mais de R$ 40 milhões, fora os termos aditivos. Por que, hein?
'Emergência' do lixo pode derrubar o prefeito de Itaperuna
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação das escolas pelo Ministério da Educação
Nova Iguaçu na ''mira'' de seis
Que peixinho caro, prefeito!

4.235 equipamentos de iluminação descartados pela Prefeitura

No apagar das luzes de seu mandato o ex-prefeito de Rio das Ostras, Carlos Augusto Balthazar (PMDB), substituiu, sem necessidade, vários equipamentos de iluminação, ao custo de R$ 4,5 milhões e descartou o material substituído, que ainda pode durar por pelo menos cinco anos. É o que afirmou hoje o vice-prefeito e secretário de Serviços Públicos, Gelson Apicelo. Segundo ele, 4.245 estruturas - braços, luminárias, lâmpadas e relês - foram substituídas, mas a maior parte do material está em bom estado.

 

 

 

Processo seletivo está sob investigação

A discussão sobre as denúncias de possíveis irregularidades no concurso público realizado pela Câmara de Vereadores de Mesquita encaminhadas ao Ministério Público já foi parar na Justiça e não pelo processo seletivo em si, mas por conta da suspensão dos salários de 35 aprovados empossados e lotados em funções administrativas. O concurso, conforme o elizeupires.com antecipou no dia 9 de dezembro, foi colocado sob suspeita por causa de denúncias dando conta da aprovação de parentes de vereadores e de pessoas a eles ligadas, além de uma suposta “ação entre amigos” envolvendo a Câmara de Nova Iguaçu, que também abriu seleção no ano passado. Isso veio à tona com a denúncia de que parentes do então presidente do Legislativo iguaçuano, Marcos Fernandes, foram aprovados em Mesquita e candidatos supostamente indicados pelo ex-presidente da Câmara de Mesquita, André Taffarel, classificados em Nova Iguaçu. Os servidores prejudicados reclamam que a suspensão dos salários se deu para que os vereadores pudessem fazer nomeações através de cargos de confiança. A Casa responde afirmando que os cargos de confiança são de assessoria e não administrativos.

Um relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE), aponta uma série de irregularidades nas contas do ex-prefeito de Araruama, André Mônica (PMDB), referentes ao exercício de 2009. Mônica, que deixou a Prefeitura no dia 31 de dezembro de 2012, deverá gastar muito tempo dando explicações ao TCE e ao Ministério Público, para onde será encaminhado o resultado de levantamento que está sendo feito pela equipe do atual prefeito, Miguel Jiovani. De acordo com o TCE, foram apuradas várias irregularidades no setor contábil da Prefeitura e entre as mais graves está a “existência de diversas contas com saldo negativo”, o que surpreendeu os técnicos do Tribunal, pois as contas têm natureza credora e não deveriam ter saldo negativo. A outra situação suspeita é a reinscrição de restos a pagar.

Nova chamada está prevista para fevereiro

A Prefeitura de Magé vai concluir primeiro o processo de posse e alocação dos convocados este ano para fazer a última chamada para completar as 2.354 vagas oferecidas no edital do concurso público realizado no ano passado para várias áreas do serviço público municipal. Essa foi a orientação dada pelo prefeito Nestor Vidal a secretária de Administração, Nilda Laureano Abreu, que a confirmou agora a pouco. Ela ressaltou que todas as 2.354 serão preenchidas, o que equivale dizer que, no caso de não comparecimento ou desistência, serão feitas chamadas respeitando a ordem de classificação. Hoje pela manhã foram empossados os novos servidores da Educação e as 80 merendeiras convocadas na semana passada também serão empossadas este mês.

Os contribuintes do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) de Magé que optarem por quitar o tributo em cota única terão 10% de desconto se fizerem o pagamento até o dia 23 de março. O imposto também poderá ser pago em até nove parcelas, mas sem desconto. Nesse caso a primeira tem de ser paga até o dia 15 de abril.