Queimados diz que maternidade está pronta, que só faltam os equipamentos para inaugurá-la, mas ainda não pagou pelo prédio
Prefeitura de Japeri esconde contratos da merenda: cinco fornecedores foram escolhidos por mais de R$ 17 milhões
Queimados via Volta Redonda: contrato de gestão de hospital na Cidade do Aço teria se transformado em bom ''negócio de família''
Deixando crianças e idosos de fora, prefeito de Resende estaria mergulhando cidade em dívidas para promover governo ''publicitário''
Itaboraí vai receber R$ 60 milhões em investimentos da Petrobras
Empresa escolhida pela Prefeitura de Japeri para fornecer merenda escolar tem a venda de medicamentos como atividade principal

Depois de manifestação da promotoria apareceram nove editais

As convocações dos aprovados no último concurso público realizado pela Prefeitura de Itaboraí demoraram, mas ganharam a transparência determinada por lei. Depois das reclamações dos aprovados, dando conta de que as chamadas estavam sendo feitas, mas que ninguém conseguia saber quem realmente estava sendo convocado, a Secretaria de Administração resolveu cumprir a lei, divulgando mais cinco editais - datados de 3, 5 e 8 de abril – chamando aprovados para funções administrativas, guardas municipais e professores. As listagens completas estão disponíveis aqui. Para conferir basta clicar sobre as palavras em vermelho: um, dois, três, quatro e cinco. Antes desses cinco editais foram feitas quatro convocações, chamando um total de 256 professores de níveis 1 e 2. Os candidatos que tiverem sido prejudicados pelo “segredo” feito pela Prefeitura nas convocações anteriores e acabaram perdendo o prazo para se apresentarem, podem recorrer à Justiça.

Chamadas serão para preencher vagas dos desistentes

Embora já tenha ultrapassado em chamadas o número de vagas imediatas oferecidas no edital que sustentou o concurso público realizado pela Prefeitura no ano passado, o prefeito de Guapimirim, Marco Aurélio Dias ainda fará novas convocações, essas para preencher as vagas dos aprovados que deixaram de comparecer para fazer a entrega dos documentos e dos candidatos que desistiram de assumir os cargos. O cadastro de reserva - determinado no edital desse processo seletivo -, também será aproveitado para vagas futuras, que, em havendo, não poderão ser ocupadas por servidores contratados temporariamente, mas sim pelos classificados dentro do cadastro de reserva.

Serviços contratados podem não ter sido prestados

A apresentação de notas fiscais e recibos com valores diferentes aos contratados para que o Instituto Cândido Mendes prestasse serviços ao município de Maricá vai “doer” no bolso do ex-prefeito Ricardo Queiroz, que terá de ressarcir os cofres públicos em exatos R$ 116.899,05, o equivalente a 48.574,36 Ufir-RJ e ainda pagar multa de R$ 7.219,80 (3 mil Ufir-RJ). A decisão foi tomada ontem pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), em processo que teve como relator o conselheiro Marco Antonio Alencar.

Total de vagas no edital é de 476, mas muitos desistiram

Na próxima terça-feira estará terminando o prazo pactado entre o Ministério Público e a Prefeitura de Guapimirim para a convocação dos candidatos aprovados no concurso público realizado passado, no qual foram oferecidas 476 vagas para ocupação imediata e mais formação de cadastro de reservas para vagas futuras.  Como o edital, que é a lei do concurso, prevê o banco de reservas, a Prefeitura é obrigada a empossar os candidatos classificados dentro do cadastro nas vagas que efetivamente existirem.

Prefeitura chama aprovados em concurso, mas ninguém vê a lista dos convocados

Os candidatos aprovados no concurso público realizado no ano passado pela Prefeitura de Conceição de Macabu, no Norte Fluminense, estão se queixando de falta de transparência no tramite desse processo seletivo, que foi aperto para preencher 157 vagas em vários setores da administração. Queixam-se de que a prefeita Lídia Mercedes Oliveira Soares, a Tedi (PT), deu início às chamadas, mas que isso está sendo feito por correspondência direta aos aprovados, o que impede o acompanhamento para se saber se a ordem de classificação está sendo respeitada. Ainda essa semana uma representação deverá ser encaminhada ao Ministério Público, para que a Prefeitura respeite a legislação e divulgue o edital de convocação com a lista dos chamados até agora.